Skip to main content
×
×
Home
Slavery in Brazil
  • Get access
    Check if you have access via personal or institutional login
  • Cited by 5
  • Cited by
    This book has been cited by the following publications. This list is generated based on data provided by CrossRef.

    Spolsky, Bernard 2018. A modified and enriched theory of language policy (and management). Language Policy,

    Spolsky, Bernard 2018. Language policy in Portuguese colonies and successor states. Current Issues in Language Planning, Vol. 19, Issue. 1, p. 62.

    2016. Crossroads of Freedom. p. 285.

    Omi, Michael and Winant, Howard 2016. Blinded by Sight: The Racial Body and the Origins of the Social Construction of Race. Law & Social Inquiry, Vol. 41, Issue. 4, p. 1062.

    Ajala, O. A. 2013. The Encyclopedia of Global Human Migration.

    ×

Book description

Brazil was the American society that received the largest contingent of African slaves in the Americas and the longest lasting slave regime in the Western Hemisphere. This is the first complete modern survey of the institution of slavery in Brazil and how it affected the lives of enslaved Africans. It is based on major new research on the institution of slavery and the role of Africans and their descendants in Brazil. Although Brazilians have incorporated many of the North American debates about slavery, they have also developed a new set of questions about slave holding: the nature of marriage, family, religion, and culture among the slaves and free colored; the process of manumission; and the rise of the free colored class during slavery. It is the aim of this book to introduce the reader to this latest research, both to elucidate the Brazilian experience and to provide a basis for comparisons with all other American slave systems.

Reviews

Refine List
Actions for selected content:
Select all | Deselect all
  • View selected items
  • Export citations
  • Download PDF (zip)
  • Send to Kindle
  • Send to Dropbox
  • Send to Google Drive
  • Send content to

    To send content items to your account, please confirm that you agree to abide by our usage policies. If this is the first time you use this feature, you will be asked to authorise Cambridge Core to connect with your account. Find out more about sending content to .

    To send content items to your Kindle, first ensure no-reply@cambridge.org is added to your Approved Personal Document E-mail List under your Personal Document Settings on the Manage Your Content and Devices page of your Amazon account. Then enter the ‘name’ part of your Kindle email address below. Find out more about sending to your Kindle.

    Note you can select to send to either the @free.kindle.com or @kindle.com variations. ‘@free.kindle.com’ emails are free but can only be sent to your device when it is connected to wi-fi. ‘@kindle.com’ emails can be delivered even when you are not connected to wi-fi, but note that service fees apply.

    Find out more about the Kindle Personal Document Service.

    Please be advised that item(s) you selected are not available.
    You are about to send
    ×

Save Search

You can save your searches here and later view and run them again in "My saved searches".

Please provide a title, maximum of 40 characters.
×
Bibliography
Primary Sources
,Arquivo da Casa dos Contos. “Serro do Frio: Escravos, Livro de Matrícula.” Codice no. 1068.
,Arquivo Nacional, Rio de Janeiro. “Rol das Pessoas que Confessam e Comungam na Freguesia de Congonhas do Sabará, 1771,” Caixa 202, pacote único.
Arquivo Público do Estado de São Paulo, Mapas de População.
Arquivo Público Mineiro, Seção Provincial, Mapas de População.
Christie, W. D.Notes on Brazilian Questions (London: Macmillan, 1865).
,Diretoria Geral de Estatística. Recenseamento Geral do Brazil de 1872.
,IHGB/CU, Arq. 1–1–19. “Correspondência do Governador da Bahia, 1751–1782,” folios 228v–230, 3 Julho 1775, Bahia.
Jornal do Comércio (Rio de Janeiro). Various issues 1830s and 1840s.
Laerne, C. F.Delden, . Brazil and Java: Report on Coffee-Culture in America, Asia, and Africa (London, W. H. Allen, 1885).
Lara, Silvia Hunold, ed. Ordenações Filipinas, Livro V (modern edition of 1603 codes; São Paulo: Companhia das Letras, 1999).
Leme, PedroTaques de Almeida Paes. Notícias das Minas de São Paulo e dos sertões da mesma Capitania, São Paulo [1645] (São Paulo: Prefeitura do Município de São Paulo, Biblioteca Histórica Paulista, 1954).
Lima, Álvaro Tibério de Moncorvo. Falla recitada na abertura da Assembléia Legislativa da Bahia… (Bahia: Typ. de Antonio Olavo da França Guerra, 1856).
Los Siete Partidas del rey Alfonso el sabio, cotejadas con varios codices antiguos, por la Real Academia de la Historia (3 vols.; Madrid: La Imprenta Real, 1807).
Marinho, Joaquim Saldanha. Relatório apresentado a Assembléia Legislativa provincial de São Paulo…no dia 2 de fevereiro de 1868 pelo presidente da mesma província (São Paulo: Typ. do Ypiranga, 1868).
Marinho, Joaquim Saldanha. Relatório com que sua excelência o sr. senador Barão de Itaúna passou a administração da província ao exmo. sr. comendador Antônio Joaquim da Rosa (São Paulo: Typ. Americana, 1869).
Rocha, Antonio Candido da. Relatório apresentado à Assembléia Legislativa provincial de São Paulo pelo presidente da província…(São Paulo, Typ. Americana, 1870).
Sinimbu, João Lins Vieira Cansanção. Falla recitada na abertura da Assembléia Legislativa da Bahia (Bahia: Typ. de Antonio Olavo da França Guerra, 1857).
,The Trans-Atlantic Slave Trade Database, Voyages, (Emory University) available at http://www.slavevoyages.org/tast/index.faces. The “estimates” are found at http://www.slavevoyages.org/tast/assessment/estimates.faces.
Secondary Studies
Abreu, Martha. “Slave Mothers and Freed Children: Emancipation and Female Space in Debates on the ‘Free Womb’ Law, Rio de Janeiro, 1871,” Journal of Latin American Studies, 28, no. 3 (October 1996), 567–580.
Aladrén, Gabriel. “Liberdades negras nas paragens do Sul: Alforria e inserção social de libertos em Porto Alegre, 1800–1835” (Dissertação de mestrado, História, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2008).
Al-Alam, Caiuá Cardoso. “Questões acerca dos enforcamentos de escravos em Pelotas-RS,” II Encontro “Escravidão e Liberdade no Brasil Meridional” (2003).
Alden, Dauril. “Late Colonial Brazil, 1750–1808,” in Bethell, Leslie, ed., The Cambridge History of Latin America (11 vols.; Cambridge: Cambridge University Press, 1984), II, pp. 601–662.
Alden, Dauril. “Yankee Sperm Whalers in Brazilian Waters, and the Decline of the Portuguese Whale Fishery (1773–1801),” The Americas, 20, no. 3 (January 1964), pp. 267–288.
Aleixo, Lucia Helena Gaeta. “Mato Grosso: Trabalho escravo e trabalho livre (1850–1888)” (Dissertação de mestrado, PUC–SP, 1984).
Alencastro, Luis Felipe. O trato dos viventes: Formação do Brasil no Atlântico Sul, séculos XVI e XVII (São Paulo: Companhia das Letras, 2000).
Algranti, Leila Mezan. O feitor ausente: Estudos sobre a escravidão urbana no Rio de Janeiro, 1808–1822 (Petrópolis: Vozes, 1988).
Algranti, Leila Mezan. “Os ofícios urbanos e os escravos de ganho no Rio de Janeiro Colonial (1808–1822),” in Szmrecsányi, Tamás, ed., História Econômica do Período Colonial (São Paulo: Ed. HUCITEC/FAPESP, 1996), pp. 195–214.
Almeida, Joseph Cesar Ferreira. “Entre engenhos e canaviais: Senhoras do açúçar em Itu (1780–1830)” (dissertação de mestrado, FFLCH-USP, 2007).
Amantino, Márcia. “As condições físicas e de saúde dos escravos fugitivos anunciados no Jornal do Commercio (RJ) em 1850,” História, Ciências, Saúde – Manguinhos, 14, no. 4 (out.-dez. 2007), pp. 1377–1399.
Amoglia, Ana Maria Faria. “Um suspiro de liberdade: Suicídio de escravos no município de Juiz de Fora (1830–1888),” Boletim [Núcleo de Estudos em História Demográfica. FEA_USP], no. 18 (Novembro de 1999).
Amos, Alcione Meira. “Afro-Brazilians in Togo: The Case of the Olympio Family, 1882–1945,” Cahiers d'Études Africaines, 162, XLI-2 (2001), pp. 293–314.
Amos, Alcione Meira and Ayesu, Ebenezer. “Sou brasileiro: História dos Tabom, afro-brasileiros em Acra, Gana,” Afro-Ásia, no. 33 (2005), pp. 35–65.
Andrade, Marcos Ferreira. “Negros rebeldes nas Minas Gerais: A revolta dos escravos de Carrancas (1833),” Afro-Ásia, 21–22 (1998–1999), pp. 45–82.
Andrade, Maria José de Souza. A mão de obra escrava em Salvador 1811–1860 (São Paulo: Corrupio, 1988).
Andrade, Rômulo. “Ampliando estudos sobre famílias escravos no século XIX: Crianças cativas em Minas Gerias: Legitimidade, alforria e estabilidade familia,” Revista Universidade Rural, Série Ciências Humanas, 24, nos. 1–2 (2002), pp. 101–113.
Andrade, Rômulo. “Casamento entre escravos na região cafeeira de Minas Gerais,” Revista Universidade Rural, Série Ciências Humanas, 22, no. 2 (Jul./Dez. 2000), pp. 177–288.
Andrade, Rômulo. “Havia um mercado de famílias escravas? (A propósito de uma hipótese recente na historiografia da escravidão),” Revista de História (Juiz de Fora), 4, no. 1 (1998), pp. 93–104.
Andreau, Jean and Descat, Raymond. Esclave en Grèce et à Rome (Paris: Hachette, 2006).
Anstey, Roger T. The Atlantic Slave Trade and British Abolition, 1760–1810 (London: Macmillan, 1975).
Antonil, André João. Cultura e Opulência do Brasil. Introdução e vocabulário por A. P. Canabrava (São Paulo: Ed. Nacional, s/d).
Araújo, Ubiratan Castro. “A política dos homens de cor no tempo da Independência,” Estudos Avançados, 18, no. 50 (2004), pp. 253–269.
Arêdes, Diego Emílio Alves and Aparecida, MariaPapali, Chaves Ribeiro. “Crime de escravo em Taubaté: Assassinato de um feitor em 1852,” available at www.inicepg.univap.br/INIC_2005/inic/IC7%20anais/IC7–10.pdf.
Arriaga, Eduardo E. New Life Tables for Latin American Populations in the Nineteenth and Twentieth Centuries (Berkeley: University of California, Population Monograph Series, no. 3, 1968).
Arruda, José Jobson de Andrade. Brasil no comércio colonial (São Paulo: Editora Ática, 1980).
Assunção, Mattias Röhrig. “Quilombos maranhenses,” in Reis, João José and Gomes, Flávio dos Santos, eds., Liberdade por um fio: História dos quilombos no Brasil (São Paulo: Companhia das Letras, 1996), pp. 433–466.
Austen, Ralph A. “The Mediterranean Islamic Slave Trade Out of Africa: A Tentative Census,” Slavery & Abolition, XIII (1992), pp. 214–248.
Austen, Ralph A. “The 19th Century Islamic Slave Trade from East Africa (Swahili and Red Sea Coasts): A Tentative Census,” Slavery & Abolition, IX (1988), pp. 21–44.
Austen, Ralph A. “The Trans-Saharan Slave Trade: A Tentative Census,” in Gemery, Henry A. and Hogendorn, Jan S., eds., The Uncommon Market: Essays in the Economic History of the Atlantic Slave Trade (New York: Academic Press, 1979), pp. 23–75.
Azevedo, Elciene. “O direito dos escravos: Lutas judicas e abolicionismo na província de São Paulo na segunda metade do século XIX,” (tese de doutorado, UNICAMP, 2003).
Bacellar, Carlos Almeida Prado. Os senhores da terra: Família e sistema sucessório entre os senhores de engenho do oeste paulista (1765–1855) (São Paulo: UNICAMP, 1987).
Barickman, B. J.A Bahian Counterpoint: Sugar, Tobacco, Cassava, and Slavery in the Recôncavo, 1780–1860 (Stanford: Stanford University Press, 1998).
Barickman, B. J.As cores do escravismo: Escravistas ‘pretos’, ‘pardos’ e ‘cabras’ no Recôncavo Baiano, 1835,” População e Família, 2, no. 2 (1999), pp. 7–59.
Barickman, B. J.Revisiting the Casa-grande: Plantation and Cane-Farming Households in Early Nineteenth-Century Bahia,” Hispanic American Historical Review, 84, no. 4 (2004), pp. 619–659.
Bastide, Roger. Les religions africaines au Brésil (Paris: Presses Universitaires de France, 1960).
Batista, Nilo. “Pena Pública e escravismo,” Capítulo Criminológico, 34, no. 3 (Jul.-Set. 2006) pp. 279–321.
Bergad, Laird W. Slavery and the Demographic and Economic History of Minas Gerais, Brazil, 1720–1888 (Cambridge: Cambridge University Press, 1999).
Bertin, Enidelce. Alforrias na São Paulo do século XIX: Liberdade e dominação (São Paulo: Humanitas FFFCH/USP, 2004).
Berute, Gabriel Santos. “A concentração do comércio de escravos na capitania do Rio Grande de São Pedro do Sul, c. 1790 – c. 1825,” II Encontro “Escravidão e Liberdade no Brasil Meridional” (2005).
Bethell, Leslie. The Abolition of the Brazilian Slave Trade: Britain, Brazil, and the Slave Trade Question, 1807–1869 (New York: Cambridge University Press, 1970).
Bethencourt, Francisco. “Political Configurations and Local Powers,” in Bethencourt, Francisco and Curto, Diogo Ramada, Portuguese Oceanic Expansion, 1400–1800 (Cambridge: Cambridge University Press, 2007), pp. 197–254.
Birchal, Sérgio de Oliveira. “O mercado de trabalho mineiro no século XIX,” (Belo Horizonte: Ibmec, Working Paper no. 12, 2007).
Blasenheim, Peter Louis. “A regional history of the Zona da Mata in Minas Gerais, Brazil, 1870–1906,” (Ph.D. dissertation, Stanford University, 1982).
Bloch, Marc. Slavery and Serfdom in the Middle Ages, Selected Essays (Berkeley: University of California Press, 1975).
Bonnaissie, Pierre. From Slavery to Feudalism in South-Western Europe (Cambridge: Cambridge University Press, 1991).
Borges, Célia Maria. Escravos e libertos nas irmandades do Rosário: Devoção e solidariedade em Minas Gerais, séculos XVIII e XIX (Juiz de Fora: Editora UFJF, 2005).
Borges, Nilsen C. Oliveira. “Meio livre, meio liberto,” II Encontro “Escravidão e Liberdade no Brasil Meridional (2005).
Borges, Nilsen C. Oliveira. “Terra, gado e trabalho: Sociedade e economia escravista em Lages, SC (1840–1865)” (Florianópolis: Dissertação do mestrado, Universidade Federal de Santa Catarina, 2005).
Boschi, Caio César. Os Leigos e o Poder (Irmandade Leigas e Política Colonizadora e Minas Gerais) (São Paulo: Editora Ática, 1986).
Botelho, Tarcísio Rodrigues. “Estratégias matrimoniais entre a população livre de Minas Gerais: Catas Altas do Mato Dentro, 1815–1850,” XIV Encontro Nacional de Estudos Populacionais, ABEP (2004).
Botelho, Tarcísio Rodrigues. “Família escrava em Catas Altas do Mato Dentro (MG) no século XVIII,” Anais da V Jornada Setecentista (2003).
Botelho, Tarcísio Rodrigues. “Família e escravidão em uma perspectiva demográfica: Minas Gerais (Brasil), século XVIII,” in Libby, Douglas Cole and Furtado, Júnia Ferreira, eds., Trabalho livre, trabalho escravo, Brasil e Europa, séculos XVIII e XIX (São Paulo: Annablume, 2006), pp. 195–222.
Bowser, Frederick P. The African Slave in Colonial Peru, 1524–1650 (Stanford: Stanford University Press, 1974).
Boxer, Charles R. The Dutch Seaborne Empire, 1600–1800 (New York: A. A. Knopf, 1965).
Boxer, Charles R. The Golden Age of Brazil, 1695–1750: Growing Pains of a Colonial Society (Berkeley: University of California Press, 1962).
Boxer, Charles R. The Portuguese Seaborne Empire, 1415–1825 (London: Hutchinson, 1969).
Bradley, Keith. Slavery and Society at Rome (Cambridge: Cambridge University Press, 1994).
Braga, Carolina. L. G. “Tenha uma Boa Morte,” Científico, IV, no. 2 (2004), n.p.
Brügger, Sílvia Maria Jardim. “Compadrio e Escravidão: Uma análise do apadrinhamento de cativos em São João del Rei, 1730–1850,” XIV Encontro Nacional de Estudos Populacionais, ABEP (2004).
Brügger, Sílvia Maria Jardim. “Legitimidade, casamento e relações ditas ilícitas em São João del Rei (1730–1850),” IX Seminário sobre a Economia Mineira (2000).
Brügger, Sílvia Maria Jardim. Minas patriarcal, família e sociedade São João del Rei – séculos XVIII e XIX (São Paulo: Annablume, 2007).
Calógeras, João Pandiá. As Minas do Brasil e sua legislação (Rio de Janeiro: Imprensa Oficial, 1905).
Campolina, Alda Maria Palhares, Melo, Cláudia Alves, and Andrade, Mariza Guerra. Escravidão em Minas Gerais: Cadernos do Arquivo (Belo Horizonte: Arquivo Público Mineiro/COPASA MG, 1988).
Campos, Adriana Pereira. “Escravidão e liberdade nas barras dos tribunais,” available at http://www.historica.arquivoestado.sp.gov.br/materias/anteriores/edicao09/materia03/texto03.pdf.
Campos, Kátia Maria Nunes. “Antônio Dias de Vila Rica: Aspectos demográficos de uma paróquia colonial (1763–1773),” XVI Encontro Nacional de Estudos Populacionais, ABEP (2008).
Canabrava, Alice P. “A grande Lavoura,” in Holanda, Sérgio Buarque (org.), História Geral da Civilização Brasileira, vol. 6 (Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1997).
Canabrava, Alice P. “A repartição da terra na capitania de São Paulo, 1818,” Estudos Econômicos, 2, no. 6 (Dez. 1972), pp. 77–129.
Canabrava, Alice P. “João Antonio Andreoni e sua obra,” in Antonil, José João, Cultura e Opulência do Brasil. Introdução e vocabulário por A. P. Canabrava (São Paulo: Ed. Nacional, s/d).
Canabrava, Alice P. “Uma economia de decadência: Os níveis de riqueza na Capitania de São Paulo 1765–67,” Revista Brasileira de Economia, (Rio de Janeiro), 26, no. 4 (Out./Dez. 1972), pp. 95–123.
Cardoso, Ciro Flamarion. Escravidão e abolição no Brasil: Novas perspectivas (Rio de Janeiro: Zahar, 1988).
Cardoso, Ciro Flamarion. Escravo ou camponês? O protocampesinato negro nas Américas (São Paulo: Brasiliense, 1987).
Cardoso, Fernando Henrique. Capitalismo e escravidão no Brasil meridional: O negro na sociedade escravocrata do Rio Grande do Sul (São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1962).
Cardoso, Fernando Henrique and Ianni, Octavio. Côr e mobilidade social em Florianópolis (São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1960).
Carney, Judith A. “‘With Grains in Her Hair’: Rice in Colonial Brazil,” Slavery & Abolition, 25, no. 1 (April 2004), pp. 1–27.
Carreira, António. As companhias pombalinas de Grão-Pará e Maranhão e Pernambuco e Paraíba (2nd ed.; Lisbon: Editorial Presença, 1982).
Carvalho, Filipe Nunes. “Do descobrimento a União Ibérica,” in Johnson, Harold and da Silva, Maria Beatriz Nizza, eds., O império luso-brasileiro, 1500–1620 (vol. 6 of the Nova História da Expansão Portuguesa, edited by Serrão, Joel and Marques, A. H. de Oliveira; Lisbon: Editorial Estampa, 1998).
Carvalho, Marcus J. M.. Liberdade, rotinas e rupturas do escravismo, Recife, 1822–1850 (Recife: Ed. Univesitária UFPE, 1998).
Filho, Carvalho, Francisco, Luís. “Impunidade no Brasil – Colônia e Império,” Estudos Avançados (USP), 18, no. 51 (2004), pp. 187–88.
Castro, Antonio Barros. “Escravos e senhores nos engenhos do Brasil. Um estudo sobre os trabalhos do açúcar e a política econômica dos senhores” (São Paulo: tese de doutorado, UNICAMP, 1976).
Chalhoub, Sidney. Visões da liberdade: Uma história das últimas décadas da escravidião na Corte (São Paulo: Companhia das Letras, 1990).
Chaudhuri, K. N.Trade and Civilization in the Indian Ocean: An Economic History from the Rise of Islam to 1750 (Cambridge: Cambridge University Press, 1985).
Chaves, Cláudia Maria das Graças. Perfeitos negociantes, mercadores das minas setecentistas (São Paulo: Annablume, 1999).
Chesnair, Jean-Claude. The Demographic Transition, 1720–1984 (Oxford, Clarendon Press, 1992).
Conrad, Alfred H. and Meyer, John R.. “The Economics of Slavery in the Ante Bellum South,” The Journal of Political Economy, 66, no. 2 (April 1958), pp. 95–130.
Conrad, Robert E. The Destruction of Brazilian Slavery, 1850–1888 (Berkeley: University of California Press, 1972).
Conrad, Robert E. Tumbeiros: O tráfico de escravos para o Brasil (São Paulo: Brasiliense, 1985).
Cook, David Nobel. Demographic Collapse, Indian Peru 1520–1620 (Cambridge: Cambridge University Press, 1981).
Cope, R. Douglas. The Limits of Racial Domination, Plebian Society in Colonial Mexico City, 1660–1720 (Madison: University of Wisconsin Press, 1994).
Corrêa, Carolina Perpétuo. “Aspectos da demografia e vida familiar dos escravos de Santa Luzia, Minas Gerais, 1818–1833,” XIV Encontro Nacional de Estudos Populacionais, ABEP (2004).
Corrêa, Mariza. As ilusões da liberdade: A escola Nina Rodrigues e a antropologia no Brasil (Bragança Paulista, UDUSF, 1998).
Cortes Alonso, Vicenta. La esclavitud en Valencia durante el reinado de los reyes católicos (1479–1516) (Valencia: Ayuntamiento, 1964).
Costa, Carlos Eduardo C. da. “Campesinato Negro no Pós-Abolição: Migração, Estabilização e os Registros Civis de Nascimentos.Vale do Paraíba e Baixada Fluminense, RJ. (1888–1940)”(dissertação de mestrado, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2008).
Costa, Iraci del Nero da. “Ocupação, Povoamento e Dinâmica Populacional,” in da Costa, Iraci del Nero and Luna, Francisco Vidal, Minas Colonial: Economia e Sociedade (São Paulo: Pioneira, 1982), pp. 1–30.
Costa, Iraci del Nero da. “Repensando o modelo interpretativo de Caio Prado Jr.” (Cadernos NEHD, n. 3) (São Paulo: NEHD-FEA/USP, 1995).
Costa, Iraci del Nero da. Vila Rica: População (1719–1826) (São Paulo: IPE-USP, 1979).
Costa, Lenira Lima da. “A Lei do Ventre Livre e os caminhos da liberdade em Pernambuco, 1871–1888” (Recife: dissertação de mestrado, UFP, 2007).
Costa, Robson Pedrosa. “Cotidiano e resistência nas últimas décadas da escravidão, Olinda, 1871–1888” (Recife: dissertação de mestrado, UFP, 2006).
Cunha, Maísa Faleiros da. “A legitimidade entre os cativos da Paróquia Nossa Senhora da Conceição de Franca – Século XIX,” XIV Encontro Nacional de Estudos Populacionais, ABEP (2004).
Cunha, Manuela Carneiro da. Antropologia do Brasil, mito, história, etnicidade (São Paulo: Brasilense, 1986).
Cunha, Manuela Carneiro da. Da Senzala ao Sobrado: Arquitetura Brasileira na Nigéria e na República Popular do Benim. [From Slave Quarters to Town Houses: Brazilian Architecture in Nigeria and the Peoples Republic of Benin] (São Paulo: Nobel/EDUSP, 1985).
Cunha, Manuela Carneiro da, ed. História dos índios no Brasil (São Paulo: Companhia das Letras, 1992).
Cunha, Manuela Carneiro da. Negros, Estrangeiros: Os Escravos Libertos e a sua Volta à África (São Paulo: Brasiliense, 1985).
Curti, Ana Helena, ed. Aleijadinho e seu tempo: Fé, engenho e arte (Rio de Janeiro: Banco Central do Brasil, 2006).
Curtin, Philip. The Atlantic Slave Trade: A Census (Madison: University of Wisconsin Press, 1969).
Danieli Neto, Mário. “Escravidão e Indústria: Um estudo sobre a Fábrica de Ferro São João de Ipanema – Sorocaba (SP) – 1765–1895” (Tese de doutorado, Economia/UNICAMP, 2006).
Dantas, Mariana L. R. “Black Townsmen: A Comparative Study of Persons of African Origin and Descent in Slavery and Freedom: Baltimore, Maryland and Sabará, Minas Gerais, 1750–1810” (Ph.D. diss.; Baltimore: Johns Hopkins University, 2003).
Dauwe, Fabiano. “Os múltiplos sentidos da liberdade: A viabilidade e as expectativas da libertação pelo fundo de emancipação de escravos,” II Encontro Escravidão e Liberdade no Brasil Meridional (2003).
David, Paul A. et al. Reckoning with Slavery: A Critical Study in the Quantitative History of American Negro Slavery (New York: Oxford University Press, 1976).
Davis, David Brion. The Problem of Slavery in the Age of Revolution, 1770–1823 (Ithaca, NY: Cornell University Press, 1975).
Dean, Warren. “Indigenous populations of the São Paulo-Rio de Janeiro Coast: Trade aldeamento, slavery and extinction,” Revista de História, 117 (1984), pp. 3–26.
Dean, Warren. Rio Claro: A Brazilian Plantation System, 1820–1920 (Stanford: Stanford University Press, 1976).
Debien, Gabriel. Les esclaves aux antillais françaises (XVIIe–XVIIIe siècles) (Basse-Terre: Société d'Historie de la Guadeloupe, 1974).
Deerr, Noel. The History of Sugar (2 vols.; London: Chapman and Hall, 1949–1950).
Delfim Netto, Antônio. O problema do café no Brasil (São Paulo: Instituto de Pesquisas Econômicas–USP, 1981).
Dias, João José Alves. “A população,” in Serrão, Joel and Oliveira Marques, A. H., eds., Nova História de Portugal (12 vols.; Lisbon: Editorial Presença, 1998).
Díaz, Maria Elena. The Virgin, the King and the Royal Slaves of El Cobre: Negotiating Freedom in Colonial Cuba, 1670–1780 (Stanford: Stanford University Press, 2000).
Dockès, Pierre. Medieval Slavery and Liberation (London: Methuen, 1982).
Domar, Evsey D. “The Causes of Slavery or Serfdom: A Hypothesis,” Journal of Economic History, 30, no. 1 (March 1970), pp. 18–32.
Drescher, Seymour. Econocide: British Slavery in the Era of Abolition (Pittsburgh, PA: University of Pittsburgh Press, 1977).
Ebert, Christopher. “Dutch Trade with Brazil before the Dutch West India Company, 1587–1621,” in Postma, Johannes and Enthoven, Victor, eds., Riches from Atlantic Commerce: Dutch Transatlantic Trade and Shipping, 1585–1817 (Leiden: Brill, 2003), pp. 49–76.
Eblen, Jack Ericson. “New Estimates of the Vital Rates of the United States Black Population during the Nineteenth Century,” Demography, 11, no. 2 (May 1974), pp. 301–319.
Eisenberg, Peter L. “Ficando livre: As alforrias em Campinas no século XIX,” Estudos Econômicos, 17, no. 2 (1987), pp. 175–216.
Eisenberg, Peter L. The Sugar Industry in Pernambuco: Modernization without Change, 1840–1910 (Berkeley: University of California Press, 1974).
Elbl, Ivana. “Volume of the Early Atlantic Slave Trade, 1450–1521,” Journal of African History, XXXVIII (1997), pp. 31–75.
Ellis Junior, Alfredo. “O Ciclo do Muar,” Revista de História, vol. I (São Paulo, 1950).
Ellis Junior, Alfredo. “Ouro e a Paulistania,” Boletim de História da Civilização Brasileira, 8, (1948).
Ellis, Myriam. A Baleia no Brasil colonial (São Paulo: Edições Melhoramentos, EDUSP, 1969).
Ellis, Myriam. “A economia paulista no século XVIII,” Boletim de História da Civilização Brasileira, 11 (1950).
Eltis, David. Economic Growth and the Ending of the Transatlantic Slave Trade (New York: Oxford University Press, 1987).
Eltis, David. “The Relative Importance of Slaves and Commodities in the Atlantic Trade of Seventeenth-Century Africa,” The Journal of African History, 35, no. 2. (1994), pp. 237–249.
Eltis, David. “Slavery and Freedom in the Early Modern World,” in Engerman, Stanley L., ed., Terms of Labor, Slavery, Serfdom, and Free Labor (Stanford: Stanford University Press, 1999), pp 25–49.
Eltis, David. “The Volume and Structure of the Transatlantic Slave Trade: A Reassessment,” The William & Mary Quarterly, 3rd series, 58, no. 1 (January 2001), pp. 17–46.
Eltis, David, Stephen, D.Behrendt, David Richardson, and Klein, Herbert S.. The Transatlantic Slave Trade, 1562–1867: A Database (New York, Cambridge: Cambridge University Press, 2000).
Eschwege, W. L.. Pluto Brasiliensis ([1833]; 2 vols.; São Paulo: Ed. Nacional, 1944).
Eugênio, Alisson. “Solidariedade e tensões no simbólico das festas das irmandades de escravos e libertos em Minas Gerais no século XVIII,” unpublished manuscript.
Eugênio, Alisson. “Tensões entre os Visitadores Eclesiásticos e as Irmandades Negras no século XVIII mineiro,” Revista Brasileira de História, 22, no. 43 (2002), pp. 33–46.
Faria, Sheila de Castro. A Colônia em movimento: Fortuna e familía no cotidiano colonial (Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1988).
Faria, Sheila de Castro. “Aspectos demográficos da alforria no Rio de Janeiro e em São João Del Rey entre 1700 e 1850,” XVI Encontro Nacional de Estudos Populacionais, ABEP (2008).
Faria, Sheila de Castro. “Identidade e comunidade escrava: Um ensaio,” Tempo, 11, no. 22 (2007), pp. 122–146.
Faria, Sheila de Castro. “Legitimidade, estratégias familiares e condição feminina no Brasil escravista,” Anais do VIII Encontro de Estudos Populacionais ABEP (1992).
Fenoaltea, Stefano. “Slavery and Supervision in Comparative Perspective: A Model,” The Journal of Economic History, 44, no. 3 (September, 1984), pp. 635–668.
Fernandéz, Ramón Vicente Garcia. “Transformações econômicas no litoral norte paulista, (1778–1836)” (Tese de doutorado, FEA, Universidade de São Paulo, 1992).
Ferreira, Roberto Guedes. “Pardos: Trabalho, família, aliança e mobilidade social, Porto Feliz, São Paulo, c. 1798 – c. 1850” (Tese de doutorado, História, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2005).
Ferreira, Roberto Guedes. “Trabalho, família, aliança e mobilidade social: Estratégias de forros e seus descendentes – Vila de Porto Feliz, São Paulo, século XIX,” V Congresso Brasileiro de História Econômica (2003).
Finley, M. I.Between Slavery and Freedom,” Comparative Studies in Society and History, 6, no. 3 (April 1964), pp. 233–249.
Finley, M. I.Classical Slavery (London: F. Cass, 1987).
Flausino, Camila Carolina. “Negócios da escravidão: Tráfico interno de escravos em Mariana: 1861–1886” (Dissertação de mestrado, História, Universidade Federal de Juiz de Fora, 2006).
Florentino, Manolo. “Sobre minas, crioulos e a liberdade costumeira no Rio de Janeiro, 1789–1871,” in Florentino, Manolo, ed., Tráfico, cativeiro e liberdade Rio de Janeiro, séculos XVII–XIX (Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2005), pp. 331–366.
Florentino, Manolo and Machado, Cacilda. “Sobre a família escrava em plantéis ausentes do mercado de cativos: Três estudos de casos (século 19),” XI Encontro Nacional de Estudos Populacionais da ABEP (1998).
Florentino, Manolo and Góes, José Roberto. A paz das senzalas: Famílias escravas e tráfico atlântico, Rio de Janeiro, c. 1790 – c. 1850 (Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1997).
Florentino, Manolo and Góes, José Roberto. “Do que Nabuco já sabia: Mobilidade e miscigenação racial no Brasil escravista” (Congresso Internacional Brasil-Portugal Ano 2000 – Sessão de História, 2000).
Florentino, Manolo and Góes, José Roberto. “Parentesco e família entre os escravos de Vallin,” in Castro, Hebe Maria Mattos and Schnoor, Eduardo, eds., Resgate: Uma janela para o Oitocentos (Rio de Janeiro: Topobooks, 1995), pp. 140–164.
Fogel, Robert W. and Engerman, Stanley L.. Time on the Cross: The Economics of American Negro Slavery (Boston: Norton, 1974).
Fonsêca, Humberto José. “Vida e morte na bahia colonial: Sociabilidades festivas e rituais fúnebres (1640–1760)” (Belo Horizonte: tesis de doutorado, FAFICH/UFMG, 2006).
Walter, Fraga Filho. Encruzilhadas da liberdade, histórias de escravos e libertos na Bahia (1870–1910) (Campinas: Editora de UNICAMP, 2006).
Fraginals, Manuel Moreno. El Ingenio: Complexo económico social cubano del azúcar (3 vols.; Habana: Editorial de Ciencias Sociales, 1978).
Franco Silva, Alfonso. La esclavitud en Sevilla y su tierra a fines de la edad media (Sevilla: Diputación Provincial de Sevilla, 1979).
Frank, Zephyr. Dutra's World: Wealth and Family in Nineteenth-Century Rio de Janeiro (Albuquerque: University of New Mexico Press, 2004).
Freire, Jonis. “Compadrio em uma freguesia escravista: Senhor Bom Jesus do Rio Pardo (MG) (1838–1888),” XIV Encontro Nacional de Estudos Populacionais, ABEP (2004).
Freitas, Décio, ed. Palmares, a guerra dos escravos (5th rev. ed.; Porto Alegre: Mercado Aberto, 1984).
Freitas, Décio. República de Palmares: Pesquisa e comentários em documentos históricos do século XVII (Maceió, Alagoas: Edufal, 2004).
Freyre, Gilberto. The Masters and the Slaves: A Study in the Development of Brazilian Civilization (2nd English-language ed., rev.; Berkeley: University of California Press, 1986).
Freyre, Gilberto. O escravo nos anúncios de jornais brasileiros do século XIX (Recife: Imprensa Universitária, 1963).
Funari, Pedro Paulo de Abreu. “A arqueologia de Palmares, sua contribuição para o conhecimento da história da cultura afro-americana,” in Reis, João José and Gomes, Flávio dos Santos, eds., Liberdade por um fio: História dos quilombos no Brasil (São Paulo: Companhia das Letras, 1996).
Funes, Eurípedes A. “‘Nasci nas matas, nunca tive senhor’ – História e memória dos mocambos do baixo Amazonas,” in Reis, João José and Gomes, Flávio dos Santos, eds., Liberdade por um fio: História dos quilombos no Brasil (São Paulo: Companhia das Letras, 1996), pp. 467–497.
Galenson, David W. “The Rise and Fall of Indentured Servitude in the Americas: An Economic Analysis,” Journal of Economic History, 44, no. 1 (March 1984), pp. 1–26.
Galenson, David W. White Servitude in Colonial America: An Economic Analysis (Cambridge: Cambridge University Press, 1981).
Galenson, David WWhite Servitude and the Growth of Black Slavery in Colonial America,” Journal of Economic History, 41, no. 1 (March 1981), pp. 39–47.
Galloway, J. H.The Last Years of Slavery on the Sugar Plantations of Northeastern Brazil,” Hispanic American Historical Review, LI, no. 4 (November 1971), pp. 586–605
Galloway, J. H.The Sugar Cane Industry: An Historical Geography from Its Origins to 1914 (Cambridge: Cambridge University Press, 1989).
Galvão, Rafael Ribas. “Bastardia e legitimidade na Curitiba dos Séculos XVIII e XIX,” XIII Encontro da Associação Brasileira de Estudos Populacionais, ABEP (2002).
Garavazo, Juliana. “Relações familiares e estabilidade da família escrava: Batatais (1850–88)” Anais de XIV Encontro Nacional de Estudos Populacionais, ABEP (2004).
Garlan, Yvon. Slavery in Ancient Greece (rev. ed.; Ithaca, NY: Cornell University Press, 1982).
Genovese, Eugene D. Roll Jordon Roll: The World the Slaves Made (New York: Vintage Books, 1976).
Giovanini, Rafael Rangel. “Regiões em movimento: Um olhar sobre a Geografia Histórica do Sul de Minas e da Zona da Mata Mineira (1808–1897)” (Belo Horizonte: dissertação de mestrado, Geografia, UFMG, 2006).
Godinho, Vitorino Magalhães. Os descobrimentos e a economia mundial (2d ed. rev.; 4 vols.; Lisbon: Editorial Presença, 1981–1983).
Godoy, Marcelo Magalhães. “Espaços canavieiros regionais e mercado interno subsídios para o estudo da distribuição espacial da produção e comércio de derivados da cana-de-açúcar da província de Minas Gerais,” X Seminário sobre a Economia Mineira (2002).
Godoy, Marcelo Magalhães. “Fazendas diversificadas, escravos polivalentes, caracterização sócio-demográfica e ocupacional dos trabalhadores cativos em unidades produtivas com atividades agroaçucareiras de Minas Gerais no século XIX,” XIV Encontro Nacional de Estudos Populacionais, ABEP (2004).
Godoy, Marcelo Magalhães. “Uma província artesã: O universo social, econômico e demográfico dos artífices da Minas do oitocentos,” Anais do XII Encontro Nacional da ABEP (2004).
Godoy, Marcelo Magalhães, Rodarte, Mario Marcos Sampaio, and Paiva, Clotilde Andrade. “Negociantes e tropeiros em um território de contrastes; o setor comercial de Minas Gerais no século XIX,” Anais do V Congresso Brasileiro de História Econômica, ABHPE (2003).
Góes, José Roberto. O cativeiro imperfeito: Um estudo sobre a escravidão no Rio de Janeiro da primeira metade do século XIX (Vitória: Lineart, 1993).
Goldschmidt, Elena María Réa. “Casamentos mistos de escravos em São Paulo Colonial” (dissertação de mestrado, FFLCH-USP, 1986).
Goldschmidt, Elena María Réa. Casamentos mistos de escravos em São Paulo Colonial (São Paulo: Annablume, 2004).
Gomes, Flávio dos Santos. A hydra e os pântanos, mocambos, quilombos e comunidades de fugitivos no Brasil (séculos XVII–XIX) (São Paulo: Editora UNESP, 2005).
Gomes, Flávio dos Santos. Experiências atlânticas: Ensaios e pesquisas sobre a escravidão e o pós emancipação no Brasil (Passo Fundo, RGS: Editora UPF, 2003).
Gomes, Flávio dos Santos. “Experiências negras e Brasil escravista: Questões e debates,” X Congresso Internacional da ALADAA (Associação Latino-Americana de Estudos Africanos e Asiático) (2001), n.p.
Gomes, Flávio dos Santos. Histórias de Quilombolas: Mocambos e comunidades de senzalas no Rio de Janeiro século XIX (Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 1995).
Gorender, Jacob. A escravidão reabilitada (São Paulo: Ática, 1990).
Gorender, Jacob. O escravismo colonial (4th ed. rev.; São Paulo: Editora Ática, 1985).
Filho, Graça, Alencastro, Afonso. “As flutuações dos preços e as fazendas escravistas de São João del Rei no século xix,” IX Seminário sobre a Economia Mineira (2000).
Graham, Sandra Lauderdale. “Slavery's Impasse: Slave Prostitutes, Small-Time Mistresses, and the Brazilian Law of 1871,” Comparative Studies in Society and History, 33, no. 4 (October 1991), pp. 669–694.
Green, William A. “Supply versus Demand in the Barbadian Sugar Revolution,” Journal of Interdisciplinary History, 18, no. 3 (Winter 1988), pp. 403–418
Grinberg, Keila. Liberata, a lei da ambigüidade: As ações de liberdade da Corte de Apelação do Rio de Janeiro no século XIX (Rio de Janeiro: Relume Dumará, 1994).
Grubb, Farley. “The End of European Immigrant Servitude in the United States: An Economic Analysis of Market Collapse, 1772–1835,” Journal of Economic History, 54, no. 4 (December 1994), pp. 794–824.
Grubb, Farley. “The Transatlantic Market for British Convict Labor,” Journal of Economic History, 60, no. 1 (March 2000), pp. 94–122.
Gudeman, Stephen and Schwartz, Stuart B.. “Purgando o pecado original: O compadrio e batismo de escravos na Bahia no século XVIII,” in Reis, João José, ed., Escravidão e Invenção da Liberdade: Estudos sobre o negro no Brasil (São Paulo: Brasiliense, 1988), pp. 33–59.
Guedes, Roberto. “De ex-escravo a elite escravista: A trajetória de ascensão social do pardo alferes Joaquim Barbosa Neves (Porto Feliz, São Pulo, século XIX),” in Fragoso, João Luis Ribeiro, Almeida, Carla Maria Carvalho, and Sampaio, Antonio Carlos Juca, eds., Conquistadores e negociantes: Histórias de elites no Antigo Regime nos trópicos, América lusa, séculos XVI a XVIII (Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007), pp. 337–376.
Guimarães, Antonio Sérgio Alfredo. “Preconceito de cor e racismo no Brasil,” Revista de Antropologia (São Paulo, USP), 47, no. 1 (2004), pp. 9–43.
Guimarães, Carlos Magno. “Mineração, quilombos e Palmares: Minas Gerais no século XVIII,” in Reis, João José and Gomes, Flávio dos Santos, eds., Liberdade por um fio: História dos quilombos no Brasil (São Paulo: Companhia das Letras, 1996).
Guimarães, Elione Silva. “Criminalidade entre mancípios: A comunidade escrava no contexto de grandes fazendas cafeeiras da zona da mata mineira 1850–1881,” X Seminário sobre a Economia Mineira (2002).
Guimarães, Elione Silva. “Rixas e brigas entre companheiros de cativeiro (Juiz de Fora 1850–88),” Revista Universidade Rural, Série Ciências Humanas, 24, nos. 1–2 (2002), pp. 89–100.
Guimarães, Elione Silva. Violência entre parceiros de cativeiro: Juiz de Fora, segunda metade do século XIX (São Paulo: Annablume, 2006).
Gurgel, Argemiro Eloy. “A Lei de 7 de novembro de 1831 e as ações cíveis de liberdade na Cidade de Valença (1870 a 1888)” (dissertação de mestrado, UFRJ, 2004).
Gutierrez, Ester J. B. Negros, Charqueadas e Olarias: Um estudo sobre o espaço pelotense (2nd ed.; Pelotas: Editora e Gráfica Universitária – UFPel, 2001).
Gutiérrez, Horácio. “A harmonia dos sexos: Elementos da estrutura demográfica da população escrava no Paraná, 1800–1830,” Anais do V Encontro Nacional de Estudos Populacionais, ABEP (1986).
Gutiérrez, Horácio. “Crioulos e Africanos no Paraná, 1798–1830,” Revista Brasileira de História, 8, no. 16 (1988), pp. 161–188.
Gutiérrez, Horácio. “Demografia escrava numa economia não exportadora: Paraná,” Estudos Ecônomicos, 17, no. 2 (1987), pp. 297–314.
Gutiérrez, Horácio. “Donos de terras e escravos no Paraná: Padrões e hierarquias nas primeiras décadas do século XIX,” História, 25, no. 1 (2006), pp. 100–122.
Gutiérrez, Horácio. “Escravidão e pequena propriedade no Paraná” (unpublished manuscript).
Gutiérrez, Horácio. “Terras e gado no Paraná tradicional” (tese de doutorado, USP, 1996).
Gutman, Herbert G. The Black Family in Slavery and Freedom, 1750–1925 (New York: Vintage Books, 1976).
Haines, Michael R. “The Use of Model Life Tables to Estimate Mortality for the United States in the Late Nineteenth Century,” Demography, 16, no. 2 (May 1979), pp. 289–312.
Harris, Mark. Rebellion on the Amazon: The Cabanagem, Race, and Popular Culture in the North of Brazil, 1798–1840 (Cambridge: Cambridge University Press, forthcoming).
Herrmann, Lucila. Evolução da estrutura social de Guaratinguetá num período de trezentos anos (São Paulo: Ed. Facsimilada. Instituto de Pesquisas Econômicas [IPE/USP], 1986).
Heywood, Linda M., ed. Central Africans and Cultural Transformations in the American Diaspora (New York: Cambridge University Press, 2002).
Higgins, Kathleen J. “Gender and the Manumission of Slaves in Colonial Brazil: The Prospects for Freedom in Sabará, Minas Gerais, 1710–1809,” Slavery & Abolition, 18, no. 2 (1997).
Higgins, Kathleen J. “Licentious Liberty” in a Brazilian Gold-Mining Region: Slavery, Gender, and Social Control in Eighteenth-Century Sabará, Minas Gerais (University Park: Pennsylvania State University Press, 1999).
Higman, B. W. Slave Population and Economy in Jamaica, 1807–1834 (Cambridge: Cambridge University Press, 1976).
Higman, B. W. Slave Populations of the British Caribbean, 1807–1834 (Baltimore: Johns Hopkins University Press, 1984).
Holanda, Sérgio Buarque. Caminhos e Fronteiras (2nd ed.; São Paulo: Cia. das Letras, 1995).
Holanda, Sérgio Buarque. “Metais e pedras preciosas,” in Holanda, Sérgio Buarque, ed., História geral da civilização brasileira (10 vols.; São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1960), tomo I, pp. 259–310.
Holanda, Sérgio Buarque. Monções (2nd ed.; São Paulo: Alfa Omêga, 1976).
Holanda, Sérgio Buarque. “Movimentos de população em São Paulo no Século XVIII,” Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, vol. 1 (1966), pp. 55–111.
Holanda, Sérgio Buarque. Raízes do Brasil (Rio de Janeiro: José Olympio Editora, 1956).
Holanda, Sérgio Buarque. Visão do Paraíso (São Paulo: Editora Brasiliense, 1994).
Holloway, Thomas. Immigrants on the Land: Coffee and Society in São Paulo, 1886–1934 (Ithaca, NY: Cornell University Press, 1980).
Hopkins, Keith. Conquerors and Slaves (Cambridge: Cambridge University Press, 1978).
Ianni, Octavio. As metamorphoses do escravo: Apogeu e crise da escravatura no Brasil meridional, no. 7 (São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1962).
Israel, Jonathan I. Dutch Primacy in World Trade, 1585–1740 (Oxford: Clarendon Press, 1989).
Jesus, Alysson Luiz Freitas. No sertão das Minas: Escravidão, violência e liberdade (1830–1888) (São Paulo: Annablume, 2007).
Johnson, Harold. “Desenvolvimiento e espansão da economia brasileira,” in Johnson, Harold and da Silva, Maria Beatriz Nizza, eds., O império luso-brasileiro, 1500–1620 (vol. 6 of the Nova História da Expansão Portuguesa, edited by Joel Serrão and A. H. de Oliveira Marques; Lisbon: Editorial Estampa, 1998), pp. 205–302.
Johnson, Harold. “Portuguese Settlement, 1500–1580,” in Bethell, Leslie, The Cambridge History of Latin America (11 vols.; Cambridge: Cambridge University Press, 1984), vol. I, pp. 249–286.
Johnson, Lyman L. “Manumission in Colonial Buenos Aires, 1776–1810,” Hispanic American Historical Review, 59, no. 2 (May 1979), pp. 258–279.
Jordan, Winthrop D. White over Black: American Attitudes toward the Negro, 1550–1812 (Chapel Hill: The University of North Carolina Press, 1968).
Karasch, Mary C. Slave Life in Rio de Janeiro, 1808–1850 (Princeton: Princeton University Press, 1987).
Kaufmann, Chaim D. and Pape, Robert A.. “Explaining Costly International Moral Action: Britain's Sixty-year Campaign against the Atlantic Slave Trade,” International Organization, 53, no. 4 (Autumn 1999), pp. 631–668.
Kessler, Arnold. “Bahian Manumission Practices in the Early 19th Century,” paper delivered at the American Historical Association, December 29, 1973.
Kiddy, Elizabeth W. Blacks of the Rosary: Memory and History in Minas Gerais, Brazil (University Park: Pennsylvania State University Press, 2005).
Kiernan, James P. “Baptism and Manumission in Brazil: Paraty, 1789–1822,” Social Science History, 3, no. 1 (Autumn 1978), pp. 56–71.
Kinsbruner, Jay. Not of Pure Blood: The Free People of Color and Racial Prejudice in Nineteenth-Century Puerto Rico (Durham: Duke University Press, 1996).
Klein, Herbert S. A imigração espanhola no Brasil (São Paulo: FAPESP: IDESP: Editora Sumaré, 1994).
Klein, Herbert S. “African Women in the Atlantic Slave Trade,” in Robertson, Claire C. and Klein, Martin A., eds., Women and Slavery in Africa (Madison: University of Wisconsin Press, 1983), pp. 29–38.
Klein, Herbert S. The Atlantic Slave Trade (2nd ed. Cambridge: Cambridge University Press, 2002).
Klein, Herbert S. “The Demographic Structure of Mexico City in 1811,” Journal of Urban History, 23, no. 1 (Nov. 1996), pp. 66–93.
Klein, Herbert S. “The Internal Slave Trade in Nineteenth-Century Brazil: A Study of Slave Importations into Rio de Janeiro in 1852,” Hispanic American Historical Review, LI, no. 4 (November 1971), pp. 567–568.
Klein, Herbert S. The Middle Passage: Comparative Studies in the Atlantic Slave Trade (Princeton: Princeton University Press, 1978).
Klein, Herbert S. “Os homens livres de côr na sociedade escravista brasileria,” Dados (Rio de Janeiro), no. 17 (1978), pp. 3–27.
Klein, Herbert S. A Population History of the United States (Cambridge: Cambridge University Press, 2004).
Klein, Herbert S. “The Structure of the Atlantic Slave Trade in the 19th Century: An Assessment,” Revue Française d'Histoire d'Outre-mer, nos. 336–337 (2éme semestre 2002), pp. 63–77.
Klein, Herbert S. “The Supply of Mules to Central Brazil: The Sorocaba Market, 1825–1880,” Agricultural History, 64, no. 4 (Fall 1990), pp. 1–25.
Klein, Herbert S. “The Trade in African Slaves to Rio de Janeiro, 1795–1811: Estimates of Mortality and Patterns of Voyages,” Journal of African History, X, no. 4 (1969), 533–549.
Klein, Herbert S. and Engerman, Stanley L., “Facteurs de mortalité dans le trafic française d'esclaves au XVIIIe siècle,” Annales. Économies, Societés, Civilisations, 31, no. 6 (1976), 1213–1223.
Klein, Herbert S. and Engerman, Stanley L.. “Fertility Differentials between Slaves in the United States and the British West Indies: A Note on Lactation Practices and their Implications,” The William & Mary Quarterly, XXXV, no. 2 (April 1978), 357–374.
Klein, Herbert S. and Engerman, Stanley L.. “Shipping Patterns and Mortality in the African Slave Trade to Rio de Janeiro,” Cahiers d'études africaines, 59, XV, no. 3 (1976), pp. 381–398.
Klein, Herbert S. and Engerman, Stanley L.. “Slave Mortality on British Ships, 1791–1797,” in Anstey, Roger and Hair, P.E.H., eds., Liverpool, the African Slave Trade, and Abolition (Liverpool, Historical Society of Lancashire and Chesire, Occasional Papers, vol. 2, 1976), pp. 113–122.
Klein, Herbert S. and Engerman, Stanley L.. “Long-term Trends in African Mortality in the Transatlantic Slave Trade,” Slavery & Abolition, 18, no. 1 (April 1997), pp. 59–71.
Klein, Herbert S. and Engerman, Stanley L., Haines, Robin, and Schlomowitz, Ralph. “The Transition from Slave to Free Labor: Notes on a Comparative Economic Model,” in Fraginals, Manuel Moreno, et al., eds., Between Slavery and Free Labor: The Spanish Speaking Caribbean in the Nineteenth Century (Baltimore: Johns Hopkins University Press, 1985), pp. 255–269.
Klein, Herbert S. and Engerman, Stanley L.. “Transoceanic Mortality: The Slave Trade in Comparative Perspective,” The William & Mary Quarterly, LVIII, no. 1 (January 2001), pp. 93–118.
Klein, Herbert S. and Luna, Francisco Vidal. “Free Colored in a Slave Society: São Paulo and Minas Gerais in the Early Nineteenth Century,” Hispanic American Historical Review, 80, no. 4 (November 2000), pp. 913–941.
Klein, Herbert S. and Paiva, Clotilde Andrade, “Free Persons in a Slave Economy, Minas Gerais in 1831,” Journal of Social History, 29, no. 4 (1996), pp. 933–962.
Klein, Herbert S. and Vinson III, Ben. African Slavery in Latin America and the Caribbean (2nd rev. ed.; New York: Oxford University Press, 2007).
Kraay, Hendrick. “‘As Terrifying as Unexpected’: The Bahian Sabinada, 1837–1838,” The Hispanic American Historical Review, 72, no. 4 (November 1992), pp. 501–527.
Kraay, Hendrick. “‘The Shelter of the Uniform’: The Brazilian Army and Runaway Slaves, 1800–1888,” Journal of Social History, 29, no. 3 (Spring 1996), pp. 637–57.
Lacerda, Antônio Henrique Duarte. “Economia cafeeira, crescimento populacional, manumissões onerosas e gratuitas condicionais em Juiz de Fora na segunda metade do século XIX,” X Seminário sobre a Economia Mineira (2002).
Lacerda, Antônio Henrique Duarte. Os padrões das alforrias em um município cafeeiro em expansão: Juiz de Fora, Zona da Mata de Minas Gerais, 1844–88 (São Paulo: Annablume, 2006).
Lamounier, Maria Lúcia. “Agricultura e Mercado de Trabalho: Trabalhadores Brasileiros Livres nas Fazendas de Café e na Construção de Ferrovias em São Paulo, 1850–1890,” Estudos Econômicos, 37, no. 2 (Abril–Junho 2007), pp. 353–372.
Lang, Francisco Kurt. “A musica barroca,” in Holanda, Sérgio Buarque, ed., História geral da civilização brasileira, vol. II, pp. 121–144.
Lara, Silvia Hunold. “Do singular ao plural, Palmares, capitães-do-mato e o governo dos escravos,” in Reis, João José and Gomes, Flávio dos Santos, eds., Liberdade por um fio: História dos quilombos no Brasil (São Paulo: Companhia das Letras, 1996), pp. 81–109.
Lara, Silvia Hunold. Campos da Violência: Escravos e senhores na Capitania do Rio de Janeiro, 1750–1808 (Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988).
Lara, Silvia Hunold. “Sedas, Panos e Balangandãs: O traje de senhoras e escravas nas cidades do Rio de Janeiro e Salvador (século XVIII),” in da Silva, Maria Beatriz Nizza, ed., Brasil: Colonização e escravidão (Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999), pp. 177–91.
Robin, Law. “The Evolution of the Brazilian Community in Ouidah,” Slavery & Abolition, 22, no. 1 (2001), pp. 3–21.
Law, Robin and Mann, Kristin. “West Africa in the Atlantic Community: The Case of the Slave Coast,” The William & Mary Quarterly, 56, no. 2 (April 1999), pp. 307–334.
Leacock, Seth and Leacock, Ruth. Spirits of the Deep: A Study of an Afro-Brazilian Cult (Garden City, NY: American Museum of Natural History, 1972).
Lestringant, Frank. L'expérience Huguenote au nouveau monde (XVIe siècle) (Geneva: Librairie Droz, 1996).
LeVeen, E. Phillip. British Slave Trade Suppression Policies, 1821–1865 (New York: Arno, 1977).
Libby, Douglas Cole. “Proto-Industrialisation in a Slave Society: The Case of Minas Gerais,” Journal of Latin American Studies, 23, no. 1 (February 1991), pp. 1–35.
Libby, Douglas Cole. Trabalho escravo e capital estrangeiro no Brasil: O caso de Morro Velho (Belo Horizonte: Itatiaia, 1984).
Libby, Douglas Cole and Paiva, Clotilde Andrade. “Alforrias e forros em uma freguesia mineira: São José d'El Rey em 1795,” Revista Brasileira de Estudos de População, 17, nos. 1/2 (Jan./Dez. 2000), pp. 17–46.
Libby, Douglas Cole and Paiva, Clotilde Andrade. “Manumission Practices in a Late Eighteenth-Century Brazilian Slave Parish: São José d'El Rey in 1795,” Slavery & Abolition, 21, no. 1 (2000), pp. 96–127.
Lima, Adriano Bernardo Moraes. “Trajetórias de Crioulos: Um estudo das relações comunitárias de escravos e forros no têrmo da Vila de Curitiba (c. 1760 – c. 1830),” (Curitiba: dissertação de mestrado, UFP, 2001).
Lima, Carlos A. M. “Escravos Artesãos: Preço e Família (Rio de Janeiro, 1789–1839),” Estudos Econômicos, 30, no. 3 (Julho-Setembro 2000), pp. 447–484.
Lima, Solimar Oliveira. Triste Pampa: Resistência e punição de escravos em fontes judiciárias no Rio Grande do Sul, 1818–1833 (Porto Alegre: EDIPURCS, 1997).
Lobo Cabrera, Manuel. La esclavitud en las Canarias orientales en el siglo XVI (negros, moros y moriscos) (Las Palmas: Cabildo Insular de Gran Canaria, 1982).
Lockhart, James. Spanish Peru, 1532–1560: A Social History (2d ed.; Madison: University of Wisconsin Press, 1994).
Loiola, Maria Lemke. “Trajetórias Atlânticas, percursos para a Liberdade: Africanos e Descendentes na Capitania dos Guayazes” (Goiânia: dissertação de mestrado, FCHF, Universidade Federal de Goiás, 2008).
Lopes, Janaina Christina Perrayon. “Casamentos de escravos e forros nas freguesias da Candelária, São Francisco Xavier e Jacarepaguá: Uma contribuição aos padrões de sociabilidade marital no Rio de Janeiro (c. 1800 – c. 1850)Anais do 1 Colóquio de LAHES (2005).
Lopes, Janaina Christina Perrayon. “Casamentos de escravos nas freguesias da Candelária, São Francisco Xavier e Jacarepaguá: Uma contribuição aos padrões de sociabilidade matrimonial no Rio de Janeiro (c. 1800 – c. 1850),” (dissertação de mestrado, UFRJ, 2006).
Lott, Mirian Moura. “A lista nominativa de 1838, características demográficas, econômicas e sociais de Ouro Preto,” Anais do XIII Seminário sobre a Economia Mineira (2008).
Lovejoy, Paul E. Transformations in Slavery: A History of Slavery in Africa (Cambridge: Cambridge University Press, 1983).
Luna, Francisco Vidal. “Economia e Sociedade em Minas Gerais (Período Colonial),” Revista do Instituto de Estudos Brasileiros, vol. 24 (1982), pp. 43–46.
Luna, Francisco Vidal. “Estrutura da Posse de Escravos,” in Francisco Vidal Luna and Iraci del Nero da Costa, Minas Colonial: Economia e Sociedade.
Luna, Francisco Vidal. “Estrutura da Posse de Escravos em Minas Gerais (1718),” in Barreto, A.E.M.., História Econômica: Ensaios (São Paulo: IPE/USP, 1983), pp. 25–41.
Luna, Francisco Vidal. “Estrutura da Posse de Escravos em Minas Gerais (1804),” in da Costa, Iraci del Nero, ed., Brasil: História Econômica e Demográfica (São Paulo: IPE/USP, 1986), pp. 157–172.
Luna, Francisco Vidal. Minas Gerais: Escravos e senhores. Análise da estrutura populacional e econômica de alguns núcleos mineratórios (1718–1804) (São Paulo: FEA-USP, 1980).
Luna, Francisco Vidal. “Mineração: Métodos extrativos e legislação,” Estudos Econômicos, vol. 13 (1983), pp. 845–859.
Luna, Francisco Vidal. “Observações sobre Casamento de Escravos em Treze Localidades de São Paulo (1776, 1804 e 1829),” Anais do Congresso sobre História da População da América Latina, São Paulo, ABEP/SEADE (1989).
Luna, Francisco Vidal. “São Paulo: População, atividades e posse de escravos em vinte e cinco localidades (1777–1829),” Estudos Econômicos, 28, no. 1 (1998), pp. 99–169.
Luna, Francisco Vidal and da Costa, Iraci del Nero. “A presença do elemento forro no conjunto dos proprietários de escravos,” Ciência e Cultura (São Paulo: SBPC), 32, no. 7 (Julho 1980), pp. 838–841.
Luna, Francisco Vidal and da Costa, Iraci del Nero. “Algumas características do contingente de cativos em Minas Gerais,” Anais do Museu Paulista, tomo XXIX (1979), pp. 79–97.
Luna, Francisco Vidal and da Costa, Iraci del Nero. “Demografia Histórica de Minas Gerais no Período Colonial,” Revista Brasileira de Assuntos Políticos (Belo Horizonte, UFMG), vol. 58 (1984), pp. 15–62.
Luna, Francisco Vidal and da Costa, Iraci del Nero. “Estrutura da Massa Escrava de Algumas Localidades Mineiras (1804),” Revista do Instituto de Estudos Brasileiros (1981), pp. 137–142.
Luna, Francisco Vidal and da Costa, Iraci del Nero. Minas Colonial: Economia e Sociedade (São Paulo: FIPE/PIONEIRA, 1982).
Luna, Francisco Vidal and Klein, Herbert S., “Free Colored in a Slave Economy: The Case of São Paulo and Minas Gerais, 1829–1830,” Hispanic American Historical Review, 80, no. 4 (November 2000), pp. 913–941.
Luna, Francisco Vidal and Klein, Herbert S.. “Slave Economy & Society in Minas Gerais and São Paulo, Brazil in 1830,” Journal of Latin American Studies, vol. 36 (February 2004), pp. 1–28.
Luna, Francisco Vidal and Klein, Herbert S.. Slavery and the Economy of São Paulo, 1750–1850 (Stanford: Stanford University Press, 2003).
Luna, Francisco Vidal and Klein, Herbert S.. “Slaves and Masters in Early Nineteenth-Century Brazil: São Paulo,” Journal of Interdisciplinary History, 21, no. 4 (1991), pp. 349–379.
Luna, Francisco Vidal and Cano, Wilson. “Economia escravista em Minas Gerais,” Cadernos IFCH/UNICAMP (Outubro de 1983).
Machado, Alcântara. Vida e Morte do Bandeirante (São Paulo: Livraria Martins, 1965).
Machado, Cacilda. “Casamento & Desigualdade Jurídica: Primeiras notas de um estudo em uma área da região paulista no período colonial,” XIII Encontro da Associação Brasileira de Estudos Populacionais ABEP (2002).
Machado, Cláudio Heleno. “O tráfico interno de escravos na região de Juiz de Fora na segunda metade do século XIX,” X Seminário de Economia Mineira (2002).
Machado, Maria Helena P. T.Crime e escravidão: Trabalho, luta e resistência nas lavouras paulistas, 1830–1888 (São Paulo: Editora Brasiliense, 1987).
Maddison, Angus. The World Economy: A Millennial Perspective (Paris: Development Centre of the Organisation for Economic Co-operation and Development, 2001).
Filho, Maestri, José, Mário. O escravo no Rio Grande do Sul: A Chaqueada e a gênese do escravismo gaúcho (Porto Alegre: Escola Superior de Teologia São Lourenço de Brindes, 1984).
Maia, Moacir Rodrigo de Castro. “Por uma nova abordagem da solidariedade entre escravos africanos recém-chegados a América (Minas Gerais, século XVIII),” III Encontro de Escravidao e Liberdade no Brasil Meridional (2007).
Malheiro, Agostinho Marques Perdigão. A escravidão no Brasil: Ensaio Histórico-Juridico-Social (2 vols.; Rio de Janeiro: Typografhia Nacional, 1866).
Manning, Patrick.Slavery and African Life: Occidental, Oriental, and African Slave Trades (Cambridge: Cambridge University Press, 1990).
Marchant, Alexander. Do escambo à Escravidão: As relações econômicas de portugueses e índios na colonização do Brasil, 1500–1580 (São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1980).
Marcílio, Maria Luíza. “The Population of Colonial Brazil,” The Cambridge History of Latin America, edited by Leslie Bethell (11 vols.; Cambridge: Cambridge University Press, 1984), II, pp. 37–57.
Marcílio, Maria Luíza. “Considerações sobre o preço do escravo no período imperial: Uma análise quantitativa (baseada nos registro de escritura de compra e venda de escravos na Bahia),” Anais de História (1973), no. 5, pp. 179–194.
Marcondes, Renato Leite. A arte de acumular na economia Cafeeira (Lorena, São Paulo: Editora Stiliano, 1998).
Marcondes, Renato Leite. “Desigualidades regionais brasileiras: Comércio marítimo e posse de cativos na década de 1870” (Tese livre-docência, FEA, USP, Riberão Preto, 2005).
Marcondes, Renato Leite and Motta, José Flávio. “A família escrava em Lorena e Cruzeiro (1874),” Anais do XII Encontro Nacional de Estudos Populacionais ABEP (2000).
Marcondes, Renato Leite and Motta, José Flávio. “Duas fontes documentais para o estudo dos preços dos escravos no Vale do Paraíba paulista,” Revista Brasileira de História, 21, no. 42 (2001), pp. 495–514.
Marcondes, Renato Leite and Falci, Miridan Britto Knox. “Escravidão e reprodução no Piauí: Oeiras e Teresina (1875)” (Texto para Discussão, Série Economia, TD-E/26, USP-FEAC-Ribeirão Preto, 2001).
Mariz, Vasco and Provençal, Lucien. Villegagnon e a França Antártica (Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 2000).
Marques, A. H. de Oliveira. “A expansão quatrocentista,” vol. 2, Nova História da Expansão Portuguesa, edited by Serrão, Joel and Marques, A. H. de Oliveira (Lisbon: Editorial Estampa, 1998).
Martins, Bárbara Canedo Ruiz. “Amas-de-leite e mercado de trabalho feminino: Descortinando práticas e sujeitos (Rio de Janeiro, 1830–1890)” (dissertação de mestrado, Universidade Federal do Rio de Janeiro – UFRJ, 2006).
Martins, Bárbara Canedo Ruiz. “Meninas e mulheres: As imagens das amas-de-leite no mercado de trabalho doméstico urbano do Rio de Janeiro (1830–1888)” (unpublished essay).
Martins, Ilton César. “Veredicto culpado: A pena de morte enquanto instrumento de regulação social em Castro – PR (1853–1888)” (Curitiba: dissertação de mestrado, Universidade Federal de Paraná, 2005).
Martins, Mônica de Souza Nunes. “Entre a Cruz e o Capital: Mestres, aprendizes e corporações de ofícios no Rio de Janeiro (1808–1824)” (tesis de doutorado, U.F.R.J./I.F.C.S., 2007).
Martins, Roberto Borges. “Growing in Silence: The Slave Economy of Nineteenth-century Minas Gerais, Brazil” (Ph.D. diss., economics, Vanderbilt University, 1980).
Martins Filho, Amílcar V. and Martins, Roberto B.. “Slavery in a Non-Export Economy: Nineteenth-Century Minas Gerais Revisited,” Hispanic American Historical Review, 63, no. 3 (1983), pp. 537–568.
Mathias, Carlos Leonardo Kelmer. “O perfil econômico da capitania de Minas Gerais na segunda década do século XVIII, notas de pesquisa – 1711–1720,” Anais do XII Seminário sobre a Economia Mineira (2006).
Mattoso, Katia M. de Queirós. “A Carta de alforria como fonte complementar para o estudo de rentabilidade de mão de obra escrava urbana, 1819–1888,” in Pelaez, Carlos Manuel and Buescu, Mircea, eds., A moderna história econômica (Rio de Janeiro: APE, 1976), pp. 149–164.
Mattoso, Katia M. de Queirós. “A propósito de cartas de alforria: Bahia, 1779–1850,” Anais de História, 4 (1972), pp. 23–52.
Mattoso, Katia M. de Queirós. Bahia, século XIX, Uma província no império (Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 1992).
Mattoso, Katia M. de Queirós. Família e sociedade na Bahia do século XIX (São Paulo: Corrupio, 1988).
Mattoso, Katia M. de Queirós. Presença francesa no movimento democrático baiano de 1798 (Salvador de Bahia: Editôra Itapuã, 1969).
Mattoso, Katia M. de Queirós. “Sociedade escravista e mercado de trabalho: Salvador – Bahia, 1850 – 1868,” Bahia Análise & Dados (Salvador), 10, no. 1 (Julho 2000), pp. 12–20.
Mattoso, Katia M. de Queirós, Klein, Herbert S., and Engerman, Stanley L.. “Trends and Patterns in the Prices of Manumitted Slaves: Bahia, 1819–1888,” Slavery & Abolition, 7, no. 1 (May 1986), pp. 59–67; reprinted in João José Reis, ed., Escravidão e invenção da liberdade: Estudos sobre o negro no Brasil (São Paulo: Editora Brasiliense, 1988), pp. 60–72.
Mauro, Frédéric. Le Portugal et l'Atlantique au XVIIe siècle (1570–1670), étude économique (Paris: SEVPEN, 1960).
McCreery, David. Frontier Goiás, 1822–1889 (Stanford: Stanford University Press, 2006).
Meillassoux, Jean Claude. L'Esclavage en Afrique précoloniale (Paris: Presses Universitaires de France, 1975).
Meira, Roberta Barros. “Bangüês, Engenhos centrais e usinas: O desenvolvimento da economia açucareira em São Paulo e a sua correlação com as políticas estatais (1875–1941)” (Dissertação de mestrado, FFLCH/USP, 2007).
Meira, Roberta Barros. “O processo de modernização da agroindústria canavieira e os engenhos centrais na Província de São Paulo,” História e Economia Revista Interdisciplinar (São Paulo), 3, no. 1 (2° semestre 2007), pp. 39–54.
Mello, Evaldo Cabral. O Negócio do Brasil: Portugal os Países Baixos e o Nordeste 1641–1669 (Rio de Janeiro: Topbooks, 1998).
Mello, José Antônio Gonçalves. Tempo dos Flamengos: Influência da ocupação holandesa na vida e na cultura do norte do Brasil (3rd ed. rev.; Recife: Fundação Joaquim Nabuco, Editora Massangana, 1987).
Mello, Pedro Carvalho. “Aspectos Econômicos da Organização do Trabalho da Economia Cafeeira do Rio de Janeiro, 1858–1888,” Revista Brasileira de Economia, 32, no. 1 (Jan./Mar. 1978), pp. 19–68.
Mello, Pedro Carvalho. “The Economics of Labor in Brazilian Coffee Plantations, 1850–1888,” (Ph.D. dissertation, Department of Economics, University of Chicago, 1977).
Mello, Pedro Carvalho. “Estimativa da longevidade de escravos no Brasil na segunda metade do século XIX,” Estudos Econômicos, 13, no. 1 (jan.-abr. 1983), pp. 151–179.
Mello, Pedro Carvalho and Slenes, Robert W.. “Análise Econômica da Escravidão no Brasil” in Neuhaus, P., ed., Economia Brasileira: Uma Visão Histórica (Rio de Janeiro: Campus, 1980).
Mello, Suzy. Barroco mineiro (São Paulo: Editora Brasiliense, 1985).
Mello e Souza, Laura. Desclassificados do Ouro: A Pobreza Mineira No Século XVIII (4th ed.; Rio de Janeiro: Graal, 2004).
Mello e Souza, Laura. “Violência e práticas culturais no cotidiano de uma expedição contra Quilombolas, Minas Gerais, 1769,” in Reis, João José and Gomes, Flávio dos Santos, eds., Liberdade por um fio: História dos quilombos no Brasil (São Paulo: Companhia das Letras, 1996), pp. 193–212.
Mendonça, Josefi Maria Nunes. Entre a mão e os anéis: A Lei dos sexagenários e os caminhos da abolição no Brasil (Campinas: UNICAMP, 1999).
Metcalf, Alida C. Family and Frontier in Colonial Brazil, Santana de Parnaíba, 1580–1822 (Berkeley: University of California Press, 1992).
Metcalf, Alida C. Go-betweens and the Colonization of Brazil (Austin: University of Texas Press, 2005).
Metcalf, Alida C. “Searching for the Slave Family in Colonial Brazil: A Reconstruction from São Paulo,” Journal of Family History, 16, no. 3 (1991), pp. 283–297.
Miers, Suzanne and Kopytoff, Igor, eds. Slavery in Africa: Historical and Anthropological Perspectives (Madison: University of Wisconsin Press, 1977).
Miller, Joseph C. Way of Death: Merchant Capitalism and the Angolan Slave Trade, 1703–1830 (Madison: University of Wisconsin Press, 1988).
Miranda, Daniela. “Músicos de Sabará: A prática musical religiosa a serviço da Câmara (1749–1822)” (Belo Horizonte: tese de doutorado, FFCH/UFMG, 2002).
Monasterio, Leonardo M. “FHC errou? A economia da escravidão no Brasil meridional,” História e Economia Revista Interdisciplinar (São Paulo, BBS), 1, no. 1 (2° semestre 2005), pp. 13–28.
Monteiro, John Manuel. “From Indian to Slave: Forced Native Labour and Colonial Society in São Paulo during the 17th Century,” Slavery & Abolition, 9, no. 2 (September 1988), pp. 105–127.
Monteiro, John Manuel. Negros da Terra: Índios e Bandeirantes nas Origens de São Paulo (São Paulo: Companhia das Letras, 1994).
Moreira, Paulo Roberto Staudt. Faces da liberdade, máscaras do cativeiro: Experiências de liberdade e escravidão precebidas através das cartas de alforria – Porto Alegre (1858–1888) (Porto Alegre: EDIPUCRS, 1996).
Moreira, Paulo Roberto Staudt. Os cativos e os homens de bem: Experiências negras no espaço urbano, Porto Alegre 1858–1888 (Porto Alegre: EST edições, 2003).
Morel, Genaro Rodríguez. “The Sugar Economy of Española in the Sixteenth Century,” in Schwartz, Stuart B., ed., Tropical Babylons: Sugar and the Making of the Atlantic World, 1450–1680 (Chapel Hill: University of North Carolina Press, 2004), pp. 85–114.
Mota, Isidora Moura. “O ‘Vulcão’ negro da Chapada: Rebelião escrava nos sertões diamantinos (Minas Gerais, 1864)” (dissertação de mestrado, UNICAMP, 2005).
Mott, Luiz Rosa. Egipcíaca: Uma santa africana no Brasil (Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1993).
Motta, José Flávio. “A família escrava e a penetração do café em Bananal (1801–1829),” Revista Brasileira de Estudos Populacionais, 5, no. 1 (1988), pp. 71–101.
Motta, José Flávio. Corpos escravos e vontades livres: Posse de cativos e família escrava em Bananal, 1801–1829 (São Paulo: Annablume, 1999).
Motta, José Flávio. “Derradeiras transações: O comércio de escravos nos anos de 1880 (Areias, Piracicaba e Casa Branca, Província de São Paulo),” Anais do XII Encontro Nacional de Economia Política (São Paulo, 2007).
Motta, José Flávio. “Escravos daqui, dali e de mais além: O tráfico interno de cativos em Constituição (Piracicaba), 1861–1880,” Anais do XXXIII Encontro Nacional de Economia ANPEC (2005).
Motta, José Flávio. “O tráfico de escravos na Província de São Paulo: Areias, Silveiras, Guaratinguetá e Casa Branca, 1861–1887,” Anais VII Encontro Nacional de Economia Política (Curitiba, 2002).
Motta, José Flávio. “O tráfico de escravos na Província de São Paulo: Areias, Silveiras, Guaratinguetá e Casa Branca, 1861–1887” (Texto para Discussão. São Paulo: IPE/USP, 21, 2001);
Motta, José Flávio. “Tráfico interno de cativos: O preço das mães escravas e sua prole,” XI Encontro Nacional de Estudos Populacionais, ABEP (1998).
Motta, José Flávio and Marcondes, Renato Leite. “O Comércio de Escravos no Vale do Paraíba Paulista: Guaratinguetá e Silveiras na Década de 1870,” Estudos Econômicos, 30, no. 2 (Abril–Junho 2000), pp. 267–299.
Motta, José Flávio and Nozoe, Nelson Hideiki. “Cafeicultura e acumulação,” Estudos Econômicos, 24, no. 2 (Maio/Ago. 1994), pp. 253–320.
Motta, José Flávio, Nozoe, Nelson Hideiki, and da Costa, Iraci del Nero. “Às Vésperas da Abolição: Um Estudo sobre a Estrutura da Posse de Escravos em São Cristóvão (RJ), 1870,” Estudios Econômicos, 34, no. 1 (Jan.–Mar. 2004), pp. 157–213.
Moura, Ana Maria da Silva. Cocheiros e carroceiros, homens livres no Rio de senhores e Escravos (São Paulo: Editora Hucitec, 1988).
Müller, Liane Susan. “O negro e suas devoções. A importância da Irmandade do Rosário e da Festa dos Navegantes para a formação de uma classe média negra porto-alegrense,” II Encontro “Escravidão e Liberdade no Brasil Meridional” (2005).
Mulvey, Patricia A. “Black Brothers and Sisters: Membership in the Black Lay Brotherhoods of Colonial Brazil,” Luso-Brazilian Review, 17, no. 2 (Winter 1980), pp. 253–279.
Mulvey, Patricia A. “Slave Confraternities in Brazil: Their Role in Colonial Society,” The Americas, 39, no. 1 (July 1982), pp. 39–68.
Murray, David R. Odious Commerce: Britain, Spain, and the Abolition of the Cuban Slave Trade (New York: Cambridge University Press, 1980).
Nabuco, Joaquim. O abolicionismo (1st ed., 1883; Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 1999).
Nascimento, Álvaro Pereira. “Do cativeiro ao mar: Escravos na Marinha de Guerra,” Estudos Afro-Asiáticos, no. 38 (December 2000), pp. 1–25.
,NEPP-Direitos Humanas, UFRJ Human Rights Center, Leis historicas do Brasil, http://www.nepp-dh.ufrj.br/estante.html#10.
Neves, Erivaldo Fagundes. “Sampauleiros traficantes: Comércio de escravos do Alto Sertão da Bahia para o Oeste cafeeiro paulista,” Afro-Ásia, no. 24 (2000), pp. 97–128.
Nishida, Mieko.Manumission and Ethnicity in Urban Slavery: Salvador, Brazil 1808–1888,” Hispanic American Historical Review, 73, no. 3 (1993), pp. 361–391.
Nogueról, Luiz Paulo Ferreira. “Sabará e Porto Alegre na formação do mercado nacional no século XIX” (Campinas: tese de doutorado, UNICAMP, Economia, 2003).
Nogueról, Luiz PauloRodrigues, Ferreira, Diego, Giacomolli, Ezequiel, and Dias, Marcos Smith. “Elementos Comuns e Diferenças entre os Patrimônios Registrados na Pecuária Gaúcha e na Pernambucana no Início do Século XIX,” VIII Encontro de Economia da Região Sul – ANPEC SUL (2005).
Oliveira, Maria Inês Côrtes. O liberto: O seu mundo e os outros, Salvador, 1790–1890 (São Paulo: Corrupio, 1988).
Oliveira, Mônica Ribeiro. “Cafeicultura mineira: Formação e consolidação 1809–1870,” IX Seminário sobre a Economia Mineira (2000).
Oliveira, Myriam Andrade Robeiro. O Aleijadinho e sua oficina: Catálogo das esculturas devocionais (São Paulo: Editora Capivara Ltda., 2002).
Oliveira, Patrícia Porto de. “Desfazendo a maldição de cam por meio dos assentos de batismo de escravos adultos da matriz do Pilar de Ouro Preto (1712–1750),” Anais do XI Seminário sobre a Economia Mineira (2004).
Oliveira, Vinicius Pereira. “Sobre o convés: Marinheiros, marítimos e pescadores negros no mundo atlântico do Porto de Rio Grande/RS (século XIX),” IX Encontro Estadual de História – ANPUH-RS (Porto Alegre, 2008).
Otávio, Rodrigo. Os selvagens americanos perante o direito (São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1946).
Paiva, Clotilde Andrade. “População e economia nas Minas Gerais do século XIX” (São Paulo: tese de doutorado, FFLCH/USP, 1996).
Paiva, Clotilde Andrade and Klein, Herbert S.. “Slave and Free in Nineteenth-Century Minas Gerais: Campanha in 1831,” Slavery & Abolition, 15, no. 1 (1994), pp. 1–21.
Paiva, Clotilde Andrade and Libby, Douglas. “Caminhos alternativos: Escravidão e reprodução em Minas Gerais,” Estudos Ecônomicos, 25, no. 2 (Mayo–Agosto 1995), pp. 203–233.
Paiva, Eduardo França. Escravidão e universo cultural na colônia, Minas Gerais, 1716–1789 (Belo Horizonte: UFMG, 2001).
Paiva, Eduardo França. Escravos e libertos nas Minas Gerais do século XVIII (São Paulo: Annablume, 1995), pp. 67–78.
Pantoja, Selma and Saraova, José Flavio Sombra, eds. Angola e Brasil nas rotas do Atlântico sul (Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 1999).
Papali, Maria Aparecida C. R. Escravos, libertos e órfãos: A construção da liberdade em Taubaté (1871–1895) (São Paulo: Annablume, 2003).
Parés, Luis Nicolau. “O processo de crioulização no recôncavo baiano (1750–1800),” Afro-Ásia, 33 (2005), pp. 87–132.
Patterson, Orlando. Slavery and Social Death: A Comparative Study (Cambridge, MA: Harvard University Press, 1982).
Peabody, Sue and Grinberg, Keila. Slavery, Freedom, and the Law in the Atlantic World: A Brief History with Documents (Boston: Bedford/St. Martins Press, 2007).
Pedreira, Jorge M. “From Growth to Collapse: Portugal, Brazil, and the Breakdown of the Old Colonial System (1760–1830),” Hispanic American Historical Review, 80, no. 4 (2000), pp. 839–864.
Peraro, Maria Adenir. “Mulheres de Jesus no universo dos ilegítimos,” Diálogos. Revista do Departamento de História da Uem, Maringá, 4, no. 4 (2000), pp. 51–75.
Peraro, Maria Adenir. “O princípio da fronteira e a fronteira de princípios: Filhos ilegítimos em Cuiabá no séc. XIX,” Revista Brasileira de História 19, no. 38 (1999), pp. 55–80.
Pereira, Ana Luiza de Castro. “A ilegitimidade nomeada e ocultada na vila de Nossa Senhora da Conceição do Sabará,” Anais do XI Seminário sobre a Economia Mineira (2004).
Pereira, Ana Luiza de Castro. “O Sangue, a palavra e a lei: Ilegitimidade e transmissão da herança no Mundo Atlântico Português no século XVIII.” Paper presented at the Familia y organización social en Europa y América siglos XV–XX Murcia-Albacete 12–14 Diciembre 2007, and published in Nuevomundo 28-IV-2008 (available at http://nuevomundo.revues.org/index30893.html).
Pereira, Júlio Césarda S, Medeiros. “À flor da terra: O Cemitério dos Pretos Novos no Rio de Janeiro” (dissertação de mestrado, Universidade Federal do Rio de Janeiro, 2006).
Petrone, Maria Thereza Schorer. A lavoura canavieira em São Paulo: Expansão e declínio (1765–1851) (São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1968).
Petrone, Pasquale. Aldeamentos Paulistas (São Paulo: EDUSP, 1995).
Petruccelli, José Luis. “Doutrinas francesas e o pensamento racial brasileiro, 1870–1930,” Estudos Sociedade e Agricultura, no. 7 (Dezembro 1996), pp. 134–149.
Petizl, Silmei de Sant'Ana. “Considerações sobre a família escrava da fronteira Oeste do Rio Grande de São Pedro (1750–1835),” III Encontro de Escravidao e Liberdade no Brasil Meridional (2007).
Phillips, William D. Slavery from Roman Times to the Early Transatlantic Trade (Minneapolis: University of Minnesota Press, 1985).
Pinheiro, Fábio W. A. “Tráfico atlântico de escravos na formação dos plantéis mineiros, Zona da Mata, c. 1809 – c. 1830,” (Rio de Janeiro: dissertação de mestrado, UFRJ, 2007).
Pinheiro, Fernanda Aparecida Domingos. “Confrades do Rosário: Sociabilidade e identidade étnica em Mariana – Minas Gerais (1745–1820)” (Niterói: dissertação de mestrado, UFF, 2006).
Pinheiro, Maria Cristina Luz. “O trabalho de crianças escravas na cidade de Salvador, 1850–1888,” Afro-Ásia, 32 (2005), pp. 159–183.
Pinto, Virgílio Noya. O ouro brasileiro e o comércio anglo-português (São Paulo: Companhia Editora Nacional, 1979).
Pires, Maria de Fátima Novaes. O crime na cor: Escravos e forros no alto sertão da Bahia (1830–1888) (São Paulo: Annablume, 2003).
Pirola, Ricardo Figueiredo. “A conspiração escrava de Campinas, 1832: Rebelião, etnicidade e família,” (dissertação de mestrado, UNICAMP, 2005).
Prado, Jr., Caio. Evolução Política do Brasil e Outros Estudos (8th ed.; São Paulo: Brasiliense, 1972).
Prado, Jr., Caio. Formação do Brasil contemporâneo (3rd. ed.; São Paulo: Editora Brasiliense, 1948).
Praxedes, Vanda Lúcia. “A teia e a trama da ‘fragilidade humana’: Os filhos ilegítimos em Minas Gerais (1770–1840),” Anais do XI Seminário sobre a Economia Mineira (2004).
Prince, Howard M. “Slave Rebellions in Bahia, 1807–1835,” (Ph.D. diss., History, Columbia University, 1972).
Queiroz, Suely Robles Reis. “Algumas notas sobre a lavoura de açúcar em São Paulo no período colonial,” Anais do Museu Paulista, vol. 21 (1967), pp. 109–277.
Queiroz, Suely Robles Reis. Escravidão Negra em São Paulo (Rio de Janeiro: Livraria José Olympio Editora, 1977).
Quintão, Antonia Aparecida. Irmandades negras: Outro espaço de lua e Resistencia (São Paulo: 1870–1890) (São Paulo: Annablume, 2002).
Quintão, Antonia Aparecida. Lá vem o meu parente, as irmandades de pretos e pardos no Rio de Janiero em Pernambuco (século XVIII) (São Paulo: Annablume, 2002).
Ramos, Donald. “City and Country: The Family in Minas Gerais, 1804–1838,” Journal of Family History, 3, no. 4 (Winter 1978), pp. 361–375.
Ramos, Donald. “Single and Married Women in Vila Rica, Brazil, 1754–1838,” Journal of Family History, 16, no. 3 (1991), pp. 261–282.
Rangel, Ana Paula dos Santos. “A escolha do cônjuge: O casamento escravo no termo de Barbacena (1781–1821),” Revista Eletrônica de História do Brasil, 8, nos. 1–2 (Jan.–Dez. 2006).
Rangel, Armenio de Souza. “Escravismo e riqueza – Formação da economia cafeeira no município de Taubaté – 1765/1835” (São Paulo: tese de doutorado, FEA-USP, 1990).
Read, Ian William Olivo. “Unequally bound: The conditions of slave life and treatment in Santos county, Brazil, 1822–1888” (Ph.D. diss., history, Stanford University, 2006).
Rebelo, Manuel dos Anjos da Silva. Relações entre Angola e Brasil, 1808–1830 (Lisbon: Agẽncia-Geral do Ultramar, 1970).
Reginaldo, Lucilene. “Os rosários dos Angolas: Irmandades negras, experiências escravas e identidades africanas na bahia setecentista” (Campinas: tese de doutorado, UNICAMP, 2005).
Reis, Arthur Cézar Ferreira. “A província do Rio de Janeiro e o Município Neutro,” in Sérgio Buarque de Holanda, ed., História geral da civilização brasileira (11 vols.; São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1960), tomo II, vol. 2.
Reis, Flávia Maria da Mata. “Entre faisqueiras, catas e galerias: Explorações do ouro, leis e cotidiano das Minas do Século XVIII (1702–1762)” (Belo Horizonte: dissertação de mestrado, FFCH-UFMG, 2007).
Reis, Isabel Cristina Ferreira dos. “A família negra no tempo da escravidão: Bahia, 1850–1888” (tese de doutorado, História, UNICAMP, 2007).
Reis, João José. Death Is a Festival: Funeral Rites and Rebellion in Nineteenth-Century Brazil (Chapel Hill: University of North Carolina Press, 2003).
Reis, João José. “Identidade e diversidade étnicas nas Irmandades negras no tempo da escravidão,” Tempo (Rio de Janeiro), 2, no. 3 (1996), pp. 7–33.
Reis, João José. Rebelião escrava no Brasil, a história do levante dos malês (1835) (São Paulo: Editora Brasiliense, 1986).
Reis, João José. “The Revolution of the Ganhadores: Urban Labour, Ethnicity, and the African Strike of 1857 in Bahia, Brazil,” Journal of Latin American Studies, 29, no. 2 (May 1997), pp. 355–393.
Reis, João José and Silva, Eduardo. Negociação e conflito: A resistência negra no Brasil escravista (São Paulo: Companhia das Letras, 1989).
Renault, François and Daget, Serge. Les traites négriéres en Afrique (Paris: Karthala, 1985).
Restitutti, Cristiano Corte. “A circulação entre o Rio de Janeiro e o Sul de Minas Gerais, c. 1800–1830,” XVI Encontro Nacional de Estudos Populacionais, ABEP (2008).
Rezende, Rodrigo Castro, Gonçalves, Mariângela Porto, Araújo, Regina Mendes, and Mata, Karina Paranhos da. “Os proprietários de escravos nas Minas Gerais em 1718–1719: Um estudo comparativo dos distritos de Vila do Carmo e Vila Rica,” XIII Encontro da Associação Brasileira de Estudos Populacionais, ABEP (2002).
Ribeiro, Alexandre Viera. “O comércio de escravos e a elite baiana no período colonial,” in Fragoso, João Luis Ribeiro, Almeida, Carla Maria Carvalho, and Sampaio, Antonio Carlos Juca, eds., Conquistadores e negociantes: Histórias de elites no Antigo Regime nos trópicos, América lusa, séculos XVI a XVIII (Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007), pp. 313–335.
Ribeiro, Núbia Braga. “Cotidiano e liberdade: Um estudo sobre os alforriados em Minas no século XVIII” (dissertação de mestrado, FFLCH-USP, 1996).
Ricardo, Cassiano. Marcha para Oeste (Rio de Janeiro: José Olympio, 1942).
Rios, Ana Maria. “The politics of kinship: Compadrio among slaves in nineteenth-century Brazil,” The History of the Family, 5, no. 3 (2000), pp. 287–298.
Rios, Ana Maria and Mattos, Hebe Maria. “O pós-abolição como problema histórico: Balanços e perspectivas,” Topoi, 5, no. 8 (Jan.–Jun. 2004), pp. 170–198.
Robertson, Claire C. and Klein, Martin A., eds. Women and Slavery in Africa (Madison: University of Wisconsin Press, 1983).
Rocha, Solange Pereira da. “Gente negra na Paraíba oitocentista: População, família e parentesco espiritual” (Recife: tese de doutorado, UFP, 2007).
Rodney, Walter.How Europe Underdeveloped Africa (London: Bogle-L'Ouverture Publications 1972).
Rodrigues, Jaime. “Cultura marítima: Marinheiros e escravos no tráfico negreiro para o Brasil (sécs. XVIII E XIX),” Revista Brasileira de História, 19, no. 38 (1999), pp. 15–53.
Rodrigues, Jaime. De costa a costa, escravos, marinheiros e intermediários do tráfico negreiro de Angola ao Rio de Janeiro (1780–1860) (São Paulo: Companhia das Letras, 2005).
Roos, Adriane Eunice de Paula. “A escravidão negra sob a perspectiva do direito no Brasil Imperial,” Trabalho de Conclusão do Curso de Direito, PUC-RS (Porto Alegre) (2007), available at http://www.pucrs.br/direito/graduacao/tc/tccII/2007_1.htm.
Russell-Wood, A.J.R.Black and Mulatto Brotherhoods in Colonial Brazil: A Study in Collective Behavior,” The Hispanic American Historical Review, 54, no. 4 (November 1974), pp. 567–602.
Russell-Wood, A.J.R.The Black Man in Slavery and Freedom in Colonial Brazil (London: Macmillan Press, 1982).
Russell-Wood, A.J.R. “Colonial Brazil: The Gold Cycle, c. 1690–1750,” in Bethell, Leslie, ed., The Cambridge History of Latin America (11 vols.; Cambridge: Cambridge University Press, 1984), II, pp. 547–600.
Salles, Gilka V. F.Economia e escravidão na Capitania de Goiás (Goiânia: CEGRAF/UFG. 1992).
Samara, Eni de Mesquita. Lavoura Canavieira, trabalho livre e cotidiano, Itu 1780–1830 (São Paulo: EDUSP, 2005).
Samara, Eni de Mesquita. “O papel do agregado na região de Itu, 1780–1830,” Anais do Museu Paulista (Série histórica), vol. 6 (1977), pp. 43–44.
Sánchez-Albornoz, Nicolás. La población de América Latina: Desde los tiempos precolombinos al año 2025 (2nd rev. ed.; Madrid: Alianza Editorial, 1994).
Sánchez-Albornoz, Nicolás. “The Population of Colonial Spanish America,” in Bethell, Leslie, ed., The Cambridge History of Latin America (Cambridge: Cambridge University Press, 1984), II, pp. 3–6.
Santos, Maria Januária Vilela. A Balaiada e a Insurreição de escravos no Maranhão (São Paulo: Editora Ática, 1983).
Santos, Ynaê Lopes dos. “Além da senzala: Arranjos escravos de moradia no Rio de Janeiro (1808–1850)” (São Paulo: dissertação de mestrado, USP, 2006).
Saraiva, Luiz Fernando. “Estrutura de terras e transição do trabalho em um grande centro cafeeiro, Juiz de Fora 1870–1900,” X Seminário sobre a Economia Mineira (2002).
Saunders, A. C. de C. M.A Social History of Black Slaves and Freedmen in Portugal, 1441–1555 (Cambridge: Cambridge University Press, 1982).
Saunders, William T. “The Population of the Central Mexican Symbiotic Region, the Basin of Mexico, and the Teotihuacan Valley in the Sixteenth Century,” in Denevan, William M., ed., The Native Population of the Americas in 1492 (Madison: University of Wisconsin Press, 1976), pp. 85–150.
Scarano, Julita. Devoção e escravidão – A Irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos no Distrito Diamantino no século XVIII (São Paulo: Editora Nacional, 1976).
Scheidel, Walter.Quantifying the Sources of Slaves in the Early Roman Empire,” The Journal of Roman Studies, vol. 87 (1997), pp. 156–169.
Schleumer, Fabiana. “Além de açoites e correntes: Cativos e libertos em Cotia colonial (1790–1810)” (dissertação de mestrado, FFCH-USP, 1999).
Schmidt-Nowara, Christopher.Empire and Antislavery: Spain, Cuba, and Puerto Rico, 1833–1874 (Pittsburgh: University of Pittsburgh Press, 1999).
Schwartz, Lilia Moritz. O espetáculo das raças, cientistas, instituções e questão racial no Brasil, 1870–1930 (São Paulo: Companhia das Letras, 1993).
Schwartz, Stuart B. “Cantos e quilombos numa conspiração de escravos Hausás,” in Reis, João José and Gomes, Flávio dos Santos, eds., Liberdade por um fio: História dos quilombos no Brasil (São Paulo: Companhia das Letras, 1996), pp. 373–406.
Schwartz, Stuart B. “A Commonwealth within Itself: The Early Brazilian Sugar Industry, 1550–1670,” in Schwartz, Stuart B., ed., Tropical Babylons: Sugar and the Making of the Atlantic World, 1450–1680 (Chapel Hill: University of North Carolina Press, 2004), pp. 158–200.
Schwartz, Stuart B.Indian Labor and New World Plantations: European Demands and Indian Responses in Northeastern Brazil,” American Historical Review, 83, no. 3 (June 1978), pp. 43–79.
Schwartz, Stuart B.The Manumission of Slaves in Colonial Brazil: Bahia, 1684–1745,” Hispanic American Historical Review, 54, no. 4 (1974), pp. 603–635.
Schwartz, Stuart B.Patterns of Slaveholding in the Americas: New Evidence from Brazil,” The American Historical Review, 87, no. 1 (February 1982), 55–86.
Schwartz, Stuart B.Resistance and Accommodation in Eighteenth-Century Brazil: The Slaves' View of Slavery,” Hispanic American Historical Review, 57, no. 1 (February 1977), pp. 69–81.
Schwartz, Stuart B.Slaves, Peasants, and Rebels: Reconsidering Brazilian Slavery (Urbana: University of Illinois Press, 1992).
Schwartz, Stuart B.Sugar Plantations in the Formation of Brazilian Society (Bahia, 1550–1835) (Cambridge: Cambridge University Press, 1985).
Schwartz, Stuart B. ed. Tropical Babylons: Sugar and the Making of the Atlantic World, 1450–1680 (Chapel Hill: University of North Carolina Press, 2004).
Sharp, William F.Slavery in the Spanish Frontier: The Colombian Chocó, 1680–1810 (Norman: University of Oklahoma Press, 1976).
Silva, Cesar Mucio. Processos-crime: Escravidão e violência em Botucatu (São Paulo: Alameda, 2004).
Silva, Cristiano Lima da. “As alforrias nos registros de batismos da matriz de Nossa Senhora do Pilar de São João del Rei: Uma análise demográfica (1751–1850),” Anais do 2° seminário regional do CEO – Centro de Estudos do oitocentos (Juiz de Fora: Clio Edições Eletrônicas, 2005).
Silva, Cristiano Lima da. “Senhores e pais: Reconhecimento de paternidade dos alforriados na pia batismal na Freguesia de Nossa Senhora do Pilar de São João del Rei (1770–1850),” Anais do I Colóquio dos LAHES (Laboratório de História Econômica e Social) Juiz de Fora, 13 a 16 de Junho de 2005, n.p.
Silva, Cristiane dos Santos. “Irmãos de fé, Irmãos no poder: A irmandade de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos na Vila Real do Senhor Bom Jesus do Cuiabá (1751–1819)” (Cuiabá: dissertação de mestrado, UFMG, 2001).
Silva, Leonardo Dantas. Holandeses em Pernambuco: 1630–1654 (Recife: Instituto Ricardo Brennand, 2005).
Silva, Marilene Rosa Nogueira da. Negro na rua, a nova face da escravidão (São Paulo: Editora Hucitec, 1988).
Silva Filho, Geraldo. “O oficialato mecânico em Vila Rica no século dezoito e a participação do escravo e do negro,” (dissertação de mestrado, FFLCH-USP, 1996).
Simonsen, Roberto C.História Econômica do Brasil (São Paulo: Companhia Nacional, 1977).
Skidmore, Thomas E.Black into White: Race and Nationality in Brazilian Thought (New York: Oxford University Press, 1974).
Skidmore, Thomas E.Raízes de Gilberto Freyre,” Journal of Latin American Studies, 34, no. 1 (February 2002), pp. 1–20.
Slenes, Robert W. “The Demography and Economics of Brazilian Slavery, 1850–1888” (Ph.D. diss., Department of History, Stanford University, 1976).
Slenes, Robert W.Na senzala, uma flor: Esperanças e recordações na formação da família escrava: Brasil Sudeste, século XIX (Rio de Janeiro: Editora Nova Fronteira, 1999).
Soares, Carlos Eugênio Líbano and Gomes, Flávio. “‘Com o Pé sobre um Vulcão’: Africanos Minas, Identidades e a Repressão Antiafricana no Rio de Janeiro (1830–1840),” Revista Estudos Afro-Asiáticos, 23, no. 2 (2001), pp. 1–44.
Soares, Luiz Carlos. “A escravidão industrial no Rio de Janeiro do século xix,” Anais do V Congresso Brasileiro de História Econômica ABPHE (2003).
Soares, Luiz Carlos. “A manufatura na sociedade escravista: O surto manufatureiro no Rio de Janeiro e nas suas circunvizinhanças (1840–1870),” in Mauro, F., ed., La préindustrialization du Brésil (Paris: CNRS, 1984).
Soares, Luiz Carlos. O ‘Povo de Cam'na capital do Brasil: A escravidão urbana no Rio de Janeiro do século XIX (Rio de Janeiro: Faperj, Letras, 2007).
Soares, Luiz Carlos. “Os escravos de ganho no Rio de Janeiro do século XIX,” Revista Brasileira de História, V, no. 16 (1988), pp. 107–142.
Soares, Luiz Carlos. Rameiras, Ilhoas, Polacas…A prostituição no Rio de Janeiro do século XIX (São Paulo: Editora Ática, 1992).
Soares, Márcio de Sousa. “De pai para filho: Legitimação de escravos, herança e ascensão social de forros nos Campos dos Goitacases, c. 1750 – c. 1830,” V Congresso Brasileiro de História Econômica (2003).
Soares, Mariza. Devotos da cor: Identidade étnica, religiosidade e escravidão no Rio de Janeiro, século XVIII (Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000).
Soares, Sebastão Ferreira. Notas estatisticas sobre a producão agrícola e carestia dos gêneros alimentícios no Império do Brazil (Rio de Janeiro: J. Villeneuve, 1860).
Soumonni, Eliseacutee.Some Reflections on the Brazilian Legacy in Dahomey,” Slavery & Abolition, 22, no. 1 (2001), pp. 42–60.
Souza, Alan Nardi. “Crime e castigo: A criminalidade em Mariana na primeira metade do século XIX” (dissertação de mestrado em História, Universidade Federal de Juiz de Fora, 2007).
Silva, Souza e, Norberto, Joaquim de. Investigações sobre os recenseamentos da população geral do Império e de cada província de per si tentados desde os tempos coloniais até hoje ([1870]; reprint, São Paulo: Instituto de Pesquisas Econômicas, 1986).
Stein, Stanley J.Vassouras: A Brazilian Coffee County, 1850–1900 (Cambridge, MA: Harvard University Press, 1957).
Stella, Alessandro.Historie d'esclaves dans la peninsula Ibérique (Paris: École des Hautes Études en Sciences Sociales, 2000).
Stuard, Susan M.Ancillary Evidence for the Decline of Medieval Slavery,” Past & Present, 149 (November 1995), pp. 3–28.
Sweet, James H.Manumission in Rio de Janeiro, 1749–54: An African Perspective,” Slavery & Abolition, 24, no. 1 (April 2003), pp. 54–70.
Taunay, Affonso de E.História do Café no Brasil (20 vols.; Rio de Janeiro: Departamento Nacional do Café, 1939).
Taunay, Carlos Augusto. Manual do agricultor brasileiro (reprint of the 1839 edition; São Paulo: Companhia das Letras, 2001).
Teixeira, Adriano Braga. “População, sistema econômico e poder na transição do século XVIII para o XIX em Minas Colonial – Barbacena – 1791/1822,” (Rio de Janeiro, dissertação de mestrado – UFRJ, 2007).
Teixeira, Heloisa Maria. “Reprodução e famílias escravas, em Mariana, 1850–1888” (tese de doutorado, USP-FFLCH, 2001).
Teixeira, Luana. “Trabalho escravo na produção pecuária: São Francisco de Paula de Cima da Serra (Rio Grande de São Pedro, 1850–1871),” III Encontro Escravidão e liberdade no Brasil Meridional (2007).
Teixeira, Maria Lúcia Resende Chaves. “Lei, matriz doutrinária e escravidão: Minas Gerais, Comarca do Rio das Mortes (1800–1831),” Anais do XII Seminário sobre a Economia Mineira (2006).
Terra, Paulo Cruz. “Tudo que transporta e carrega é negro? Carregadores, cocheiros e carroceiros no Rio de Janeiro (1824–1870)” (Niteroi: dissertação de mestrado, UFF, 2007).
Thomas, Georg. Política indigenista dos portugueses no Brasil, 1500–1640 (São Paulo: Edições Loyola, 1982).
Thornton, John.Africa and Africans in the Making of the Atlantic World, 1400–1800 (2nd ed.; Cambridge: Cambridge University Press, 1998).
Toplin, Robert B.The Abolition of Slavery in Brazil (New York: Atheneum, 1972).
Trindade, Alexandro Dantas. “André Rebouças: Da Engenharia Civil a Engenharia Social” (tesis de doutorado, sociologia, UNICAMP, 2004).
Troitiño, Sonia. “Números da bastardia: Os ilegítimos nos testamentos paulistas oitocentistas,” Anais do XII Encontro Nacional de Estudos Populacionais ABEP (2000).
Turner, J. M. “Les Brésiliens: The Impact of Former Brazilian Slaves upon Dahomey” (Boston: Ph.D. diss., Boston University, 1975).
Villa, Valencia, Eduardo, Carlos “Produzindo alforrias no Rio de Janeiro no século XIX” (dissertação de mestrado, UFRJ, 2008).
Valentin, Agnaldo. “Arroz no Vale do Ribeira (1800–1888)” (São Paulo: tese de doutorado, FFLCH/USP, 2006).
Vasconcellos, Marcia Cristina Roma. “Famílias escravas em Angra dos Reis, 1801–1888” (São Paulo: Tese de doutorado, USP-FFCH, 2006).
Verger, Pierre. Flux et reflux de la traite des négres entre le golfe de Benin et Bahia de Todos os Santos, du dix-septième au dix-neuvieme siècle (Paris: Mouton & Co., 1968).
Verlinden, Charles. L'esclavage dans l'Europe médiévale (2 vols.; Brugge: De Tempel, 1955–1977).
Versiani, Flávio Rabelo. “Brazilian Slavery: Toward an Economic Analysis,” Revista Brasileira de Economia, 48, no. 4 (Dezembro 1994), pp. 463–478.
Versiani, Flávio Rabelo. “Escravidão ‘suave’ no Brasil: Gilberto Freyre tinha razão?Revista de Economia Política, 27, no. 2 (Abril-Junho, 2007), pp. 163–183.
Versiani, Flávio Rabelo and Vergolino, José Raimundo Oliveira. “Posse de Escravos e Estrutura da Riqueza no Agreste e Sertão de Pernambuco: 1777–1887” (Universidade de Brasília, Departamento de Economia, Texto para discussão, no. 231, 2002); also published in Estudos Econômicos, 33, no. 2 (Abril–Junho 2003), pp. 353–393.
Versiani, Flávio Rabelo and Vergolino, José Raimundo Oliveira. “Preços de Escravos em Pernambuco no Século XIX” (Texto para Discussão, no. 252; Universidade de Brasília, Departamento de Economia, Brasília, Outubro de 2002).
Versiani, Flávio Rabelo and Vergolino, José Raimundo Oliveira. “Slave holdings in nineteenth-century Brazilian northeast: Sugar estates and the backlands.” Paper presented at XIII Congress of the International Economic History Association, (Buenos Aires), July 2002.
Viana, Larissa. O idioma da mestiçagem: As irmandades de pardos na América Portuguesa (Campinas, SP: Editora UNICAMP, 2007).
Vieira, Alberto. Os escravos no arquipélago da Madeira: séculos XV a XVII (Funchal: Centro de Estudos de História do Atlántico, 1991).
Vieira, Alberto. “Sugar Islands: The Sugar Economy of Madeira and the Canaries, 1450–1650,” in Schwartz, Stuart B., ed., Tropical Babylons: Sugar and the Making of the Atlantic World, 1450–1680 (Chapel Hill: University of North Carolina Press, 2004), pp. 42–84.
Vitorino, Artur José Renda. “Operários livres e cativos nas manufaturas: Rio de Janeiro, segunda metade do século XIX,” I Jornada Nacional de História do Trabalho (Florianópolis: Laboratório de História Social do Trabalho e da Cultura, 2002).
Vogt, John L.Portuguese Rule on the Gold Coast, 1469–1682 (Athens: University of Georgia Press, 1979).
Volpato, Luiza Rios Ricci. “Quilombos em Mato Grosso: Resistência negra em área de fronteira,” in Reis, João José and Gomes, Flávio dos Santos, eds., Liberdade por um fio: História dos quilombos no Brasil (São Paulo: Companhia das Letras, 1996), pp. 222–225.
Wakefield, Edward Gibbon. “A Letter from Sydney” [1829], in Pritchard, Lloyd, ed., The Collected Works of Edward Gibbon Wakefield (Glasgow: Colllins, 1968).
Watson, James, ed. Asian and African Systems of Slavery (Berkeley: University of California Press, 1980).
Weinstein, Barbara. “Slavery, Citizenship, and National Identity in Brazil and the United States South,” in Doyle, Don and Pamplona, Marco Antonio, eds., Nationalism in the New World (Athens: University of Georgia Press, 2006), pp. 248–271.
Wissenbach, Maria Cristina Cortez. Sonhos africanos, vivências ladinas: Escravos e forros em São Paulo (1850–1880) (São Paulo: Editora Hucitec, 1998).
Wissenbach, Maria Cristina Cortez. “Sonhos africanos, vivências ladinas: Escravos e forros no município de São Paulo (1850–1880)” (São Paulo: dissertação de mestrado, Departamento de História, FFCLCH, 1989).
Wright, Gavin.The Political Economy of the Cotton South (New York: Norton, 1978).
Yai, Olabiyi Babalola. “The Identity, Contributions, and Ideology of the Aguda (Afro-Brazilians) of the Gulf of Benin: A Reinterpretation,” Slavery & Abolition, 22, no. 1 (2001), pp. 61–71.
Zemella, Mafalda P.O abastecimento da Capitania das Minas Gerais no século XVIII (São Paulo: Hucitec-Edusp, 1990).
Zubaran, Maria Angélica. “Escravidão e liberdade nas fronteiras do Rio Grande do Sul (1860–1880): O caso da Lei de 1831,” Estudos Ibero-Americanos (PUCRS), 32, no. 2 (Dezembro 2006), pp. 119–132.
Zubaran, Maria Angélica. “Os Escravos e a Lei de 7 de Novembro de 1831 no Rio Grande do Sul (1865–1888),” II Encontro, “Escravidão e Liberdade no Brasil Meridional (2005).